FANDOM


Ares-hades-poseidon-02-ss-ol

Os imortais deuses gregos do Olimpo.

Deuses (神, Kami), também conhecidos como Divindades (神々, Kamigami) ou Deidades (神性, Shinsei), são uma raça de poderosos seres sobrenaturais, geralmente imortais, que controlam as forças que regem o universo e governam um determinado plano de existência. A maioria dos deuses é descrita como parte de uma família, clã ou panteão, e eles confiam em seus devotos mortais para adoração ou servidão. Embora a classificação possa ser neutra em termos de gênero e aplicada a mulheres ou homens, os termos adaptados ao gênero para um homem seriam conhecidos como "deus", enquanto uma mulher seria chamada de "deusa" (女神, Megami). Em geral, devido a seus poderes e autoridade absoluta, assim como no mundo real, os deuses são respeitados e temidos por aqueles que ousam lhe desafiar; quando um deus escolhe algo, é dito que nenhum humano pode contestar.

Etimologia

'Deus' (do latim, significa "divindade" ou "deidade") é um conceito de Ser Supremo presente em diversas religiões monoteístas, henoteístas ou politeístas, sendo geralmente definido como o espírito infinito e eterno, criador e preservador do Universo. O conceito de Deus, conforme descrito pelos teólogos, geralmente inclui os atributos da onisciência (todo conhecimento), a onipotência (poder ilimitado), a onipresença (presente em todos os lugares), a simplicidade divina e a existência eterna e necessária. As muitas concepções diferentes de Deus e as reivindicações concorrentes quanto às suas características, objetivos e ações levaram ao desenvolvimento de ideias do pandeísmo ou de uma filosofia perene, que postula que existe uma verdade teológica subjacente, a qual todas as religiões expressam um entendimento parcial.

Na franquia Saint Seiya

Todos os deuses apresentados nas obras de Saint Seiya, são baseados em deuses reais de diversas mitologias e religiões, principalmente da mitologia grega. Além disso, todos eles desempenham um papel central durante seus enredos, já que em todas elas (com poucas exceções) giram em torno de Atena e seus cavaleiros enfrentando outro deus e seus respectivos guerreiros que desempenham o papel de antagonista, porém, há alguns casos em que alguns deuses fiquem posteriormente ao lado de Atena a fim de enfrentarem uma ameaça maior.

Características

Personalidade

Os deuses, em seu todo, possuem mentalidades que se diferem uma da outra de acordo com seu objetivo ou ideologia, ao qual é chamada de Vontade Divina (神の意志, Kami no Ishi). No entanto, muitos deles adoraram desfrutar de suas posições e deveres no universo, com alguns chegando até se deleitarem ou vangloriarem de sua linhagem divina, além também de serem implacáveis para realizar o que querem em nome do que acreditam ser "sua forma de justiça". Eles também geralmente acreditam que devem ser temidos e respeitados, sendo que devido ao seu orgulho, eles creem que precisar da ajuda dos mortais é um sinal de fraqueza enquanto outros acham que a existência humana serve apenas para cumprir os desejos dos deuses. Porque a maioria esmagadora deles são imortais, eles sentem pouca razão para mudarem suas formas de pensar, como alguns chegam a acreditar que a imortalidade é a coisa mais bela e poderosa que existe. Estes deuses, em especifico, parecem serem divididos em duas formas de caráter: "possessivos" e "malignos". 

As divindades vistas como possessivas, mas não todos, mostraram ser arrogantes, ambiciosos, desdenhosos, presunçosos, orgulhosos, convencidos, intolerantes e prepotentes. Já as divindades malignas, além de cínicas e sádicas, também podem compartilhar, na maioria das vezes, os mesmos trejeitos dos deuses possessivos, porém mais intensificados devido sua malevolência, malícia, frieza, crueldade e luxúria insaciável tanto pelo poder quanto dominação. Ambas as mentalidades, no entanto, compartilham o mesmo excesso de confiança e indiferença sobre o valor da vida humana que os fazem subestimar grandemente os mortais, aos quais vêem como inferiores e desprezíveis, devido terem a crença que, por serem deuses, são absolutamente superiores a eles. Este tratamento também pode se estender para com aqueles que os servem diretamente e até mesmo com as outras divindades, já que como acreditam que por serem mais poderosos e antigos que seus iguais, eles tem todo o direito de manipulá-los ou usurpar seus domínios a fim de expandir os seus próprios. Isso, em última análise, faz com que os deuses, mas não todos, criem um grande sentimento de desconfiança e hostilização dentre eles mesmos.

Embora em pequeno número, existem deuses onibenevolentes (perfeitamente bons) e amorosos que valorizam os humanos e trabalham em conjunto com eles para preservar a ordem em seus domínios. Não só esses deuses os prezam por suas determinações, dedicações e seus princípios para pregar a paz, como também zelam pela proteção deles, chegando a criar laços sentimentais profundos com alguns, o que, como resultado, os fazem "evoluir" seu senso de crescimento pessoal. Essa atitude, entretanto, os fazem serem considerados inferiores pelas outras divindades que vêem seus ideais mudados como "mundanos". Todavia, embora sejam pacíficos, estes deuses não hesitarão em lutar contra seus opositores, divinos ou não, em caso de real ameaça para defender seus domínios e seus seguidores, estando dispostos a incapacitá-los ou, se não houver outra maneira, matá-los, caso estejam além do arrependimento.

Por fim, há aqueles considerados "individualistas", que se preocupam apenas consigo mesmos e os "neutros", que, geralmente, não interferem ou se envolvem nos assuntos ou conflitos dos deuses e mortais. Como tal, eles apenas preferem ficar a distância e "observar" o que acontece. 

Aparência

Muitos dos deuses são indistinguíveis dos seres humanos na aparência, embora alguns pareçam radicalmente diferentes. De fato, estes mostraram ter feições bestiais e são anatomicamente semelhante a faunas animais. Outros preferem não ter forma física, agindo apenas como uma consciência divina.

Também digno de nota é o fato de que quando um deus é morto, um evento pode ocorrer como sua forma física desaparecer ou mesmo explodir, sendo que em seguida, uma ocorrência pode acontecer que pode aplacar ou até destruir completamente seu domínio, o que pode causar um desiquilíbrio na ordem do universo.

Visão Geral

A suprema virtude de Caos criou a realidade

A Suprema Virtude de Caos criou a vida no universo.

Os deuses, originalmente, foram os primeiros seres a surgirem na existência após o Big Bang, sendo portanto, as entidades mais poderosas do universo por deterem os maiores cosmos e terem dominado absolutamente a Suprema Virtude, o Nono Sentindo.[1][2] Conforme o tempo passou, outras divindades nasceram ao serem gerados através de cisões (a partir de "pedaços" dos deuses) ou da relação entre eles. Pouco depois, os seres humanos que despertaram o nono sentido também se tornaram divindades (embora não com a mesma potência dos primeiros deuses), o que consequentemente, fez com que seus corpos se divinizarem graças a seu sangue ter se tornado ikhor.[1] Estes também, com o tempo, gerariam outra geração de deuses através da relação dentre eles ou se relacionando com mortais, porém, ainda menores que eles.

Uma vez que o universo fora totalmente estabelecido, muito dos deuses tomaram sob seu controle mundos, planetas ou dimensões após serem formados conforme a respectiva vontade divina de seus regentes. Outras divindades, por sua vez, adquiriram para si um tema ou aspecto específico da vida mortal, como guerra, amor, sabedoria ou morte, etc. Há também deuses que são literalmente personificações de conceitos ou forças naturais, como o Tempo, a Terra ou Céu. No geral, para protegerem seus domínios, a maior parte dos deuses passou a reunir leais seguidores, chegando a criar vestimentas protetoras a eles a fim de ajudá-los a guarnecer seu território ou província, sendo Poseidon o primeiro deus a fazer isso, embora com um objetivo militar. Em certos casos, como acontece com alguns dos deuses mais antigos, além de possuírem seguidores mortais, eles também tomaram a lealdade de divindades menores para lhes servirem, dando a eles também um traje protetor geralmente superior aos seus servos mortais. Já em outros casos, os deuses preferem ter como servos apenas anjos.

CronosdestronandoUrano

Urano e Cronos em batalha pelo domínio do universo.

Inicialmente, os deuses eram proibidos de matar uns aos outros, dado que isso poderia acarretar em um desequilíbrio ou até mesmo destruir o universo. Todavia, essa lei acabara sendo quebrada por Urano e Cronos, que foram as primeiras divindades a disputarem o domínio sobre o universo. Com isso, desde a era dourada, a maior parte das divindades passaram a guerrear entre si a fim de aumentar seus domínios e poderes, sendo a Terra o território mais disputado por eles, já que, aparentemente, era o centro de toda a vida. A ordem divina fora apenas restabelecida quando os Deuses Olímpicos se tornaram governantes do universo após vencerem os Titãs. Todavia, pouco tempo depois do início da era mitológica, as hostilidades entre as divindades voltaram a acontecer com o desaparecimento de Zeus, sendo Poseidon o primeiro a tentar destronar Atena como divindade principal da superfície da Terra. A partir dai, sempre que um deus, junto de seus guerreiros, enfrenta outra divindade e seu exército de guerreiros, ocorre o que é chamado de Guerra Santa. Nessas guerras, a fim de protegerem seus corpos verdadeiros de ferimentos, a maioria dos deuses passaram a adotar a prática de usarem o corpo de um ser humano no lugar do seu próprio, que é considerado seu hospedeiro, sendo este podendo ser escolhido desde antes ao nascimento ou após o mesmo.

Apesar de em tese terem autoridade absoluta, até mesmo os Deuses têm limitações que não só variam de acordo com a divindade como também ao fluxo da ordem natural do universo. Embora raro de ocorrer, eles podem abandonar suas diferenças e se unir para lidar com ameaças à existência de seus domínios ou a estabilidade do universo. De fato, se um deus dar inicio a algum objetivo que ameace seriamente o domínio de outros deuses ou o equilíbrio do universo, os mesmos se unirão para não só derrubar o usurpador, como também o punirão e removerão dele a maior parte de seus poderes bem com posição divina a fim de designar um novo deus para substituí-lo.

Classificação Divina

Amorfos

Estes seres não possuem forma física e agem como "deuses dos deuses", sendo portanto, absolutos e invioláveis a qualquer forma de flagelo. Até agora, o único deus amorfo conhecido é Chronos, que demonstrou o poder de mexer com o DNA de Atena (especificamente com seus telômeros), transformando-a em um bebê sem poderes. Por não possuírem corpos, não usam trajes.

Imortais

Artigo principal: Imortalidade

Os Imortais são deuses que possuem forma (geralmente humana) e podem reproduzir-se com mortais, gerando semideuses. Alguns imortais renascem dentre os mortais, sendo que Atena torna-se humana a cada 240 anos, Hades, Poseidon e Éris precisam possuir humanos e Apolo, Abel e Artemis mostraram a habilidade de aparecer na Terra de acordo com sua vontade. Excetuando por Atena, todos os demais deuses desta classificação são incrivelmente resilientes, podendo sobreviver a uma vasta gama de eventos que facilmente matariam mortais ou seres misticos. Deve-se notar, no entanto, que eles ainda podem ser incapacitados caso sejam selados ou mesmo mortos se sofrerem uma lesão letal de certas fontes. Todos usam trajes divinos ou criados por eles mesmos.

Mortais

Artigo principal: Deuses Mortais

​Estes são deuses que possuem corpos mortais (humanos), podendo ser destruídos e serem enviados ao Inferno ou aos Campos Elísios, não ao Tártaro. Os deuses mortais conhecidos são os Deuses dos Sonhos, os Gigas, Tífon, Abel e Kairos (após serem exilados). Atena também é mortal após abandonar sua imortalidade para renascer junto a humanidade a cada geração. Eles geralmente usam um traje não divino criado por eles mesmos ou emprestado por outro deus.

Demoníacos

São divindades completamente de origem maligna e distorcida. Atualmente, Apófis  é a única divindade conhecida desta categoria.

Animais

Estes são deidades que mantêm a forma de uma espécie animal ou criatura mistica. Apenas o Deus Dragão é conhecido por ocupar esta classificação.

Casos Semelhantes

Semideuses

Artigo principal: Semideuses

São os frutos do relacionamento entre mortais e imortais. Durante a série foram poucos os semideuses mostrados; eles não usam trajes divinos.

Pseudo-deuses

Artigo principal: Pseudo-deuses

Tem poder ou função de um deus, mas ainda são humanos sem nono sentido (na maioria dos casos). São respeitados como um deus por seguidores (enganados ou não).

  • Asclépio de Ofiúco: Dito ser o primeiro mortal cujo poder ameaçara a posição dos deuses.
  • Aria: tornou-se "deusa" da Terra na ausência de Atena, tendo sido seguida pelos Cavaleiros de Atena por um momento e também identificada como "Nova Atena".
  • Feiyan de Hakutaku: auto-proclamado.
  • Kyoko: assumiu a chefia das dríades após a derrota de Éris.
  • Alone (The Lost Canvas): controlava o corpo que era para pertencer a Hades.
  • Saga de Gêmeos (Lenda do Santuário): auto-proclamado.
  • Falsa Atena: jovem usada por Saga no filme Saint Seiya: Legend of Sanctuary para representar a deusa durante a ausência da mesma do Santuário.

Portadores do Poder Divino

São mortais que receberam ou tomaram o poder dos deuses, o que lhes aumenta seus poderes incomensuravelmente a ponto de rivalizarem ou superarem as ditas divindades.

  • Amor de Peixes: recebeu o poder de Marte através de Medea.
  • Baldr de Hræsvelgr: recebeu o poder de Loki e era intitulado como "Guerreiro Deus Imortal".
  • Saga de Gêmeos (Lenda do Santuário): roubou boa parte do poder de Atena a fim de se tornar o novo deus da Terra.

Portadores de Ikhor

São aqueles que receberam dos deuses o sangue divino em suas veias e isso aumenta o seu poder.

Relíquias Sagrados

Artigo principal: Relíquias Sagradas

São artefatos cujo poder são comparáveis aos deuses, podendo incapacitá-los, feri-los e até matá-los com eles.

Lista de Deuses e seus trajes

Deuses Primordiais (Os Grandes Deuses)

Artigo principal: Grandes Deuses

Os primeiros deuses a existirem e agem como os "Deuses dos deuses". Usam a Ars Magna como trajes de batalha.

Clã dos Titãs

Artigo principal: Clã dos Titãs

Seis deuses e seis deusas nascidos de Gaia que tomaram o lugar o controle do universo após a derrota de Urano até serem destronados com o surgimento dos olimpianos. Cronos era o rei deles, com Réia como sua rainha. Usam Sohma como trajes de batalha.

  • Cronos: Rei dos Titãs e intitulado "Deus Supremo".
  • Hyperion: Titã do Ébano e intitulado "Deus da Guerra".
  • Céos: Titã dos Relâmpagos Negros.
  • Iapeto: Titã das Dimensões.
  • Créos: Titã da Galáxia ou Estrelas. 
  • Réia: Rainha dos Titãs e mãe dos deuses do Olimpo mais antigos.
  • Téia: Titã da Luz e do Fogo.
  • Oceano: Titã das Correntes Claras.
  • Mnemôsine: Titã da Memória.
  • Têmis: Titã da Justiça.
  • Tétis: Titã do Mar.
  • Febe: Titã da Lua.

Deuses Olímpicos

Artigo principal: Deuses Olímpicos

São doze deuses liderados por Zeus que vivem no Olimpo. São os atuais regentes do universo e consideradas as mais poderosas divindades que existem.[1] Os três mais poderoso integrantes, chamados também de os Três Grandes Deuses do Olimpo (オリンパスの三大神, Orinpasu no Sandaishin) são Zeus, Poseidon e Hades que governam os céus, os oceanos e o submundo, respectivamente. Somente deuses olímpicos usam armaduras de mesmo tipo, como se fossem um exército só, e estas são chamadas de Kamui

  • Zeus: Deus dos Céus, das Tempestades e Rei dos Deuses.
  • Poseidon: Deus dos Mares e Oceanos.
  • Hades: Deus do Submundo e da Escuridão.
  • Atena: Deusa da Paz, da Sabedoria, da Guerra Justa e da Terra.
  • Ártemis: Deusa da Lua e da Caça.
  • Apolo: Deus do Sol, da Profecia, das Artes, da Cura, entre muitos outros atributos.
  • Afrodite (Jogo apenas): Deusa do Amor e da Beleza.
  • Ares: Deus da Guerra.
  • Hefesto (apenas citado): Deus da Metalurgia, do Fogo e Ferreiro dos Deuses.
  • Hermes (apenas citado): Deus do Comércio, dos Ladrões, das Atividades Esportivas, entre muitos outros atributos, e Mensageiro dos Deuses.

Clã dos Gigas

Artigo principal: Clã dos Gigas

Foram seres criados por Gaia e o Tártaro para destruir os deuses como vingança pelo que fizeram com os titãs. Existem duas classes distintas desta espécie:

A serviço do titã Cronos

Os gigas que aparecem no Episódio G a serviço de Cronos são denominados de "Soldados Giga-deuses" (ギガス兵 神, Gigasu Heishin). São considerados deuses, porém mortais, e embora usem trajes, não são iguais dos titãs.

  • Lyax: Gigante da Lava Magenta.
  • Phlox: Gigante do Fogo Ciano.
  • Anemos: Gigante do Vento Branco.
  • Bronte: Gigante do Trovão Negro.
  • Spate: Gigante da Lâmina Cinzenta.
  • Zugilos: Gigante da Malha Rubi.

A serviço do giga-deus Tífon

Os gigas que aparecem na nova Gigantomaquia apesar deles serem parentes de Tífon e Equidna, que são os únicos gigas considerados como deuses, não são tidos como deidades. Eles usam as Adamas como trajes.

  • Ágrios, a Força Bruta.
  • Toas, o Relâmpago Célebre.
  • Pallas, o Parvo. 
  • Encelado, o Brado do Combate e sumo sacerdote dos Gigas.
  • Ortos, o Cão Bicéfalo do Mal
  • Quimera, a Fera Pluriforme
  • Ladon, o Dragão de Cem Cabeças

Deuses Romanos

Artigo principal: Panteão Romano

São divindades, em sua maioria, que baseiam-se nos deuses gregos (numa espécie de sincretismo). Porém, são totalmente diferentes de suas versões gregas que já apareceram. Nota se que, enquanto suas contrapartes gregas usam o mesmo tipo de traje de batalha, os deuses romanos vestem armaduras diferentes criadas por eles mesmos que podem evoluir ao se fortalecerem igual dos mortais.

  • Cupido: Deus do Amor. Equivalente ao deus primordial grego Eros;
  • Marte: Deus da Guerra e do Fogo, além de ser o deus do Planeta Marte. Equivalente ao deus grego Ares;
  • Saturno: Deus do Tempo, do Espaço e do Planeta Saturno. Equivalente ao titã Cronos;
  • Plutão: Deus do Mundo dos Mortos. Equivalente ao deus grego Hades;

Deuses Menores

Essas divindades não pertencem a família, clã ou panteão principal de seu respectivo grupo. Por isso, são considerados inferiores. Geralmente são leais a deuses maiores como Thanatos e Hypnos que servem Hades desde os tempos mitológicos, com isso, eles ganharam os privilégios de viverem nos Campos Elísios, além de poderem comandar o exército do submundo. Eles normalmente usam trajes criados pelos deuses que servem ou criados por eles mesmos.

Primordiais

  • Euríbia: Protógenos do Domínio dos Mares.
  • Kairos: Antigo protógenos do Tempo, das Estações e da Oportunidade; Exilado por Chronos.

Olímpicos

  • Hypnos: Deus do Sono.
  • Thanatos: Deus da Morte.
  • Pallas: Deusa da Tragédia e do Amor.
  • Éris: Deusa da Discórdia.
  • Abel: Antigo Deus do Sol; Substituído por Apolo.
  • Hécate: Deusa da Magia.
  • Nike: Deusa da Vitória.
  • Deimos (citado apenas): Deus do Pânico.
  • Fobos (citado apenas): Deus do Medo.
  • Perséfone (Jogo apenas): Deusa e rainha do submundo.
  • Oneiros: Líder dos Deuses dos Sonhos.
  • Morfeu: Deus do Sonho dos Heróis.
  • Fântaso: Deus das Fantasias Humanas.
  • Ícelo: Deus do Sonho dos Pesadelos.
  • Fobetor: Deus do Sonho das Vontades Humanas.
  • Tritão (citado apenas): Deus Mensageiro do Mar.

Titãs

  • Prometeu: Titã de segunda geração intitulado de "Protetor dos Humanos". 
  • Atlas: Titã de segunda geração intitulado "Aquele que Segura o Mundo".

Gigas

  • Tífon: Deus dos Ventos de Tempestades e Rei dos Gigantes.
  • Equidna: Rainha e última Mulher dos Giga.

Romanos

Artigo principal: Quatro Reis Celestiais de Marte
  • Baco: Equivalente ao deus grego Dionísio;
  • Diana: Equivalente a deusa grega Ártemis;
  • Vulcano: Equivalente ao deus grego Hefesto;
  • Rômulo: Chamado de "Deus da Guerra" por Amor. Aparentemente, o líder dos quatro Reis Celestiais.

Outras divindades

São deuses de outras mitologias, sendo que alguns deles são humanos que atingiram o nono sentido. Usam trajes divinos criados por eles mesmos.

  • Odin: Deus nórdico de Asgard, da Magia, da Sabedoria, entre outros muitos atributos.
  • Loki: Deus nórdico da Trapaça, da Magia e do Mal. Possui duas versões; Em jogo, ele é tido como uma deidade, enquanto no anime, ele é retratado como um deus falso de Asgard.
  • Apsu: Deus Primordial sumério das Trevas e das Águas frescas. 
  • Apófis: Deus egípcio da Destruição, do Mal e do Caos.
  • Anubis: Deus egípcio dos Mortos e da Mumificação.
  • : Deus egípcio do Sol.
  • Tezcatlipoca: Deus asteca do Céu Noturno, da Lua, das Estrelas. Senhor do Fogo e da Morte.
  • Quetzalcóatl: Divindade asteca da Luz e do Vento.
  • Hakuryu: Deus dos Taonia e do Senkyou.
  • Balor: Deus celta dos Druidas.
  • Lugh: Deus celta da Luz.
  • Deus Dragão: Deus dos dragões e das Águas.
  • Deus: Divindade judaica (e em diversas religiões) da Criação.
  • Fudo-Myo: Deus protetor do budismo, destruidor da ilusão, da guerra e um dos cinco Reis da Luz e da Sabedoria.
  • "Esperança": Divindade misteriosa aliada de Pontos.
  • Tomoe: Deusa misteriosa que se intitula "Atena do Caos".

Facções

Facções são os exércitos ou grupos particulares de algum deus formados geralmente por humanos, mas existem exceções, como os anjos e os gigas, que lutam pelos seus deuses para fazerem-os alcançarem seus objetivos divinos.

Exércitos dos Deuses

Patentes Comuns entre as Facções

  • Soldados rasos: São guerreiros que também servem aos deuses, porém estão na base da hierarquia de cada facção. Em certos casos, esta patente não existe no exército ou grupo dos deuses.
  • Representantes de Deuses: São pessoas que geralmente coordenam o exército de seu deus, na ausência do mesmo, como o Grande Mestre do exército de Atena ou Sumo Sacerdote dos Gigas de Tífon. Geralmente são os guerreiros mais fortes das suas respectivas facções, cuja função é tomar decisões junto aos seus deuses. Como tópico acima, esta patente nem sempre existe no exército ou grupo dos deuses.

Habilidades

Apolo repelindo Seiya

O poder divino de um deus sobrepondo facilmente o de um mortal.

Os deuses, de uma forma geral, são a raça mais poderosa da existência na franquia Saint Seiya. Eles sãos fortes o suficiente para serem temidos no multiverso, não apenas pelos mortais, mas até entre eles mesmos. Embora possa parecer que cada deus possui a mesma autoridade e poderes similares, seu poder individual e capacidade de combate variam dependendo de quão antiga a divindade é, sua linhagem divina ou a outro deus que servem. Por serem seres sobrenaturais, todos os deuses extraem a maior parte de seus poderes de suas esferas de controle ou domínio, sendo alguns capazes, dependendo de seu papel e poder divino especifico, de influenciar os elementos da natureza, dominar a realidade, o espaço-tempo ou até do fluxo do tempo. Apesar disso, todos compartilham certos poderes, como a imortalidade, e até mesmo as habilidades específicas de seus domínios individuais podem, às vezes, se sobrepor como outras divindades.

Capacidades

  • Sentidos

    Os deuses são dito serem a primeira raça a conhecerem todos os segredos sobre o uso do Cosmo.

    Domínio do Cosmo: As divindades foram a primeira raça a ter o completo controle do cosmo e terem dominado completamente todos os seus caminhos ocultos. Ao incitarem seus cosmos, as divindades o manifestam na forma de uma aura cuja cor e forma variam. O poder e nível cósmico dos deuses é tão imensurável que alguns vêem os seres humanos não mais poderosos ou importantes do que como os humanos veem uma bactéria. Agora comparado entre eles, o grau de escala varia de deus para deus. Originalmente, os primordiais e alguns dos titãs foram as divindades com os mais colossais cosmos. Alguns deuses olímpicos, como Zeus, Poseidon e Hades, também possuem imensos níveis cósmicos comparáveis aos de seus ancestrais. Outros, como Atena, Artemis e Apolo, por sua vez, são um pouco mais fracos do que seus pais, mas compartilham níveis semelhantes de poder. Os deuses menores, como Thanatos e Hypnos, apesar de serem considerados inferiores, ainda são poderosamente divinos, sendo que caso sirvam outro deus, eles também ganharão um aumento de seus poderes. As divindades de outras mitologias são do mesmo modo igualmente quase tão poderosos quanto aos deuses gregos e alguns chegam a se igualar ao seu nível de poder. No geral, a intensidade do cosmo dos deuses é tão poderosa que servem como uma barreira natural contra ataques consideravelmente mais fracos (como dos mortais) podendo ricocheteá-los de volta. Ao liberarem todo o seu poder, essa barreira se torna mais poderosa, sendo que a única forma de transpassá-la é caso o cosmo agressor seja mais elevado que o da divindade ou se o cosmo do deus esteja enfraquecido. Também é notado que, quanto mais tempo um deus esta desperto em batalha e dentro dos seus domínios, seu cosmo se multiplicará rapidamente, não tendo um limite para parar.
  • O Grande Eclipse

    O Grande Eclipse de Hades alinhando o sistema solar.

    Domínio do Nono Sentido: Os Deuses são justamente os seres supremos do universo porque controlam a Suprema Virtude, o que permitiu a eles ascenderem ao estado superior que estão e despertarem uma ampla gama de habilidades bem como atributos próximos a onipotência, geralmente como a imortalidade, cura miraculosa, possuírem corpos humanos, transitar pelo Muro das Lamentações e a Hiperdimensão, mover planetas, dimensões, estrelas e até galáxias bem como destruí-los se quiserem. Eles também são capazes de feitos absurdos com seus cosmos, mesmo que entre em contradição com as leis da física[3] - Hades alinhou facilmente todos os planetas do Sistema Solar e Poseidon provocou tsunamis, tempestades, maremotos em todo o mundo. Certas habilidades e atributos só estão disponíveis apenas para os deuses que dominaram completamente nono sentido, mas mesmo o domínio incompleto pode garantir um poder divino esmagador. Parece também que as divindades despertam uma capacidade diferenciada de acordo com suas linhagens divinas ao obter o controle completo deste sentido, como olimpianos usam a Grande Vontade[1] enquanto os titãs e os primordiais utilizam tanto o Dunamis quanto o Eskatos Dunamis, que representam o "Cosmo da Criação" (創造のコスモ, Sōzō no Kosumo) e o "Poder Absoluto" (太極, Taikyoku) respectivamente.[2]
  • Saturno Appears

    Um deus imortal ao exibir seus poderes ao despertar.

    Imortalidade: A maioria dos deuses que obtiveram completamente o controle sobre o nono sentido são agraciados com a máxima do sentido que é ter seus corpos divinizados. Estes corpos então passam a ser imunes a qualquer arma e qualquer tipo de dano que facilmente mataria mortais ou seres mitológicos. Eles também se tornam incapazes de morrer pela passagem do tempo, imunes a todas as doenças humanas (embora ainda são vulneráveis as aflições sobrenaturais), e capazes de sobreviver a danos que facilmente destruiriam um humano. Esta capacidade, embora considerada como o atributo mais poderoso dos deuses[4], significa segurança apenas da morte natural. Deve-se notar, que sob as condições certas, os deuses ainda podem morrer, só que quanto mais poderoso o imortal for, mais difícil é matá-lo. Neste caso, é preferível incapacitar a divindade selando sua alma. A imortalidade também não protege os corpos dos deuses de serem destruídos ou de envelhecerem (embora a retarde longamente). Pra evitar o envelhecimento, eles precisam usar regularmente a habilidade Misopethamenos para conservarem sua juventude e altivez.
  • Ikhor: Uma vez que os deuses tem seus corpos divinizados e tornado eternos, o sangue em suas veias passasse a se chamar de Ikhor (いちょる, Ichoru). Este fluído carrega o mesmo poder divino que seu portador, sendo extremamente venenoso para mortais. Ao mesmo tempo, ele pode ser usado pelos mesmos e até por outras divindades para se curarem, fortalecerem ou expandirem suas capacidades. Todavia, como os mortais, os deuses também podem sofrer os males da perda de sangue, perdendo a consciência ou mesmo entrando em coma, chegando, em casos mais graves, até morrer.[2]
    • A vasta força e vigor sobrenatural de um deus.
    • Resistência e durabilidade quase absoluta dos deuses.
    • Um deus gerando e acumulando uma imensa cosmo energia rapidamente.
    Aptidão Física: Os deuses tem habilidades físicas, como força, velocidade, resistência e vigor, que superam as dos mortais grandemente, indo mesmo além daqueles que também são vistos como sobre-humanos. Eles também possuem uma desumana durabilidade, podendo gerar e manipular rapidamente imensas quantidades de cosmo energia sem inconvenientes, além de possuírem incríveis capacidades regenerativas. Os limites do poder de um deus a esse respeito são desconhecidos, assim como em que medida eles podem cruzar o domínio de outro. No entanto, eles podem se cansar ou serem dominados dependendo de quão poderoso seu adversário for ou quão numerosos são. Embora capazes de sustentar grandes níveis de dano, eles ainda são suscetíveis à dor e alguns deuses foram mostrados morrendo por ferimentos fatais. Hades morreu ao ter seu corpo transpassado pelo Báculo de Atena (carregado com os cosmos da deusa junto com Shiryu, Hyoga, Shun e Ikki após ascenderem a força divina). Saturno, no entanto, sobreviveu mesmo após ser apunhalado pela Adaga Dourada, uma das únicas armas capazes de despachar deuses, simplesmente por ser um "Grande Deus Imortal". Os deuses Abel e Éris, no entanto, foram mortos ao serem atingidos pela Flecha de Sagitário (também carregada com os cosmos de Atena, Seiya e os demais Cavaleiros de Bronze, porém, apenas com os cosmos no nível dos Cavaleiros de Ouro), apesar do artefato não ser considerado sagrado. Já outro punhado de deuses foram mortos ao serem atingidos pelas técnicas dos mortais, como Thanatos e Hypnos, embora isso ocorreu depois que os ditos mortais ascenderam seus poderes ao nível divino. A deusa Atena, por ter abandonado a imortalidade, pode ser morta de diferentes formas.
    • Hades derruba facilmente os Cavaleiros com sua Espada.
    • Apolo gerando uma explosão cósmica.
    • Abel repelindo o ataque de Seiya com sua barreira cósmica.
    Estilo de Luta: Cada divindade possui um método de combate próprio dependendo de seu papel e poder divino especifico, sendo que alguns nem lutam. No entanto, as divindades geralmente compartilham as mesmas formas de ataque envolvendo golpes ou rajadas cósmicas, ondas de choque em forma de energia capazes de derrubar até mesmo outras divindades com a força do impacto, geralmente acompanhada por um grito ou movimento da mão. Caso possuam armamentos, como no caso de Atena, Poseidon ou Hades, os deuses normalmente são hábeis e exímios lutadores com suas armas, sendo alguns tão poderosos que é quase impossível vencê-los sem antes lhe privar de sua respectiva arma. No quesito de defesa, parece que todas as divindades usam seu cosmo como barreira para repelir investidas que não são capazes de lhe ferirem.
  • Inteligência: A maioria das divindades possui o conhecimento e sabedoria de tudo no universo, incluindo o que existe ou já existiu nele. Eles também, aparentemente, podem aumentar infinitamente suas capacidades mentais. Todavia, excetuando por Mnemosine, eles não são totalmente oniscientes, portanto, podem ser surpreendidos ou pegos desprevenidos. Os deuses também podem ser enganados ou manipulados e, inconscientemente, terem suas ações direcionadas por outras divindades e até mortais.
    • Saturno restaurando suas vestes do nada.
    • Apolo descompondo a matéria do Meteoro de Pégaso,
    • tentando desintegrar Atena ou
    • apagando completamente a matéria existência de um ambiente.
    • O cosmo divino destruindo as Armaduras de Ouro dos Cavaleiros de Atena.
    Domínio sobre a Criação e Destruição: Dependendo de quão poderoso o controle dos átomos da divindade é, ela terá capacidade de controlar a energia da criação ou materialização de suas formas, podendo assim gerar matéria física no ar, criando quaisquer tipos de objetos, inclusive armas, a partir do nada. Da mesma forma, eles também terão igual domínio sobre a energia da destruição, porém, em nível divino, variando de pelo menos desintegrar algo ou alguém em um nível subatômico (aos quais nem as mais resistentes armaduras ou os outros deuses escapam dessa categoria), alterar o próprio tecido da realidade e até remover completamente toda a existência do ambiente onde se encontra.
    • A alma de um deus maligno.
    • A forma espectral de Cronos.
    Domínio Astral e Espiritual: Os deuses que dominam completamente o nono sentido tem suas almas divinizadas, tornando praticamente impossível afligir suas essências espirituais[5] a ponto que mesmo tendo suas almas desvanecidas, elas voltarão a se reestabelecer dependendo de quão antiga e poderosa a divindade é, embora a duração desse processo possa variar de anos para séculos. Como tal, eles detêm o controle absoluto sobre esse plano superior de existência espiritual, ou seja, mesmo se tiverem sua forma física destruída, os deuses podem retornar em uma forma astral. Cronos mesmo fora capaz de gerar uma forma espectral gigantesca capaz de interagir com o plano físico.[2] No entanto, embora possam se tornar imunes a maioria dos ataques e poderem possuir mortais para se abrigar dentro deles, eles se tornam extremamente vulneráveis a serem selados dentro de um recipiente ou local por alguém, independente de ser mortal ou divino. Uma vez que a alma divina toma possessão do corpo de um mortal é dito que somente poder divino é suficiente para separar um deus do hospedeiro, embora é possível usar o ikhor para realizar o mesmo feito.[5]
    • Abel ressuscitando os Cavaleiros de Ouro
    • Hades ressuscitando Shion e restaurando sua juventude.
    Domínio sobre a Vida e a Morte: As divindades são acreditado serem as únicas entidades capazes de terem o absoluto controle sobre a vida e a morte. Como tal, eles são os únicos que podem dar vida ou roubar, manipular ou alterar as almas, dos vivos e dos mortos, contudo, nem todos conseguem fazer isso. Além disso, parece que o poder da divindade, dependendo de seu papel ou poder especifico, influencia a forma como fazem isso - Abel trouxe de volta a vida Saga, Máscara da Morte, Afrodite, Shura e Camus com seus poderes abaixo do que originalmente tinham, já Hades trouxe eles juntos de Shion (no anime, juntamente com alguns dos Cavaleiros de Prata) com a mesma potência que tiveram em vida. Os deuses também precisam que o morto queira servi-los para trazê-los de volta a vida plenamente, do contrário, a ressurreição falhará. De fato, algumas divindades, como Hades e Thanatos, tem tal domínio deste campo que são capazes de decidir quem vive e quem morre no universo. É notável também que, por mais acima da vida e da morte que os deuses estejam, apenas alguns podem transitar no Mundo dos Mortos sem serem afetados por ele. Da mesma forma, todos os deuses são igualmente vulneráveis a ficarem incapacitados dentro das profundezas infernais do Tártaro caso sejam selados lá.
  • Domínio Extrassensorial: Os deuses, mas não todos, possuem uma quantidade quase ilimitada de controle sobre os poderes mentais gerais, incluindo levitação, teletransporte, telepatia e psicocinese.
  • Thanatos abrindo a Hiperdimensão

    Thanatos abrindo a Hiperdimensão.

    Domínio Dimensional e do Espaço-tempo: Certas divindades mostraram ter o poder de rasgar o espaço-tempo aonde eles queriam e expandi-lo ao tamanho que desejassem, podendo assim engolfar totalmente até mesmo uma área tão grande quanto o Santuário de Atena e deixá-lo existindo em uma fenda dimensional a parte, conseguindo até impedir que alguém possa sair de seus domínios. Eles também podem criar uma abertura para uma dimensão especifica como um universo dimensional particular onde pode observar as pessoas. Não obstante, eles também são capazes de viajar grandes distâncias rapidamente através de suas fendas dimensionais. Eles até poderiam invadir outras técnicas do mesmo estilo. Referente a dimensões, alguns também detinham controle e conhecimento total sobre os campos interdimensionais, visto que poderiam abrir portais com facilidade para dimensões com leis físicas próprias (resumidamente, onde o tal poderia manipulá-lo completamente) e foram capazes de abrir caminhos até para a Hiperdimensão.
  • Domínio sobre o Fluxo do Tempo: Apenas as divindades Chronos, Cronos, Kairos e Saturno exibiram esta capacidade. Ela lhes permitem ter total domínio do tempo: passado, presente e futuro, permitindo-lhes também usá-lo como uma arma, aprisionando inimigos ou mundos inteiros em infinitos ciclos de tempo. Porque o tempo é uma componente absoluto no equilíbrio do universo, todos os deuses estão sujeitos a esse poder.
  • Domínio da Natureza: Alguns deuses, dependendo de seus domínios ou aspectos que representam, mostraram manipular os elementos básicos da natureza, porém, em uma escala tão imensurável que não pode ser medida em quantidade de controle. 

Trajes

Artigo principal: Armaduras dos Deuses

​Praticamente todos os deuses possuem armaduras próprias que são consideradas supremas por possuírem um poder inimaginável, porém, em certos casos como os Deuses Olímpicos, eles não as utilizam e em seu lugar, vestem trajes criados pelos mesmos.

Armamento

Artigo principal: Armamento Divino

Certos deuses possuem armas ou artefatos próprios, sendo que alguns são tidos como as mais poderosas armas criadas, podendo incapacitar, ferir e até destruir outros deuses com estas. Até agora, apenas estes armas e artefatos foram vistos:

Mortais que ameaçam os Deuses

Armadura de Ofiuco ND--wiki--

Asclépio de Ofiúco, o primeiro mortal cujo poder ameaçava os deuses.

Por mais temíveis que sejam em batalha e apesar de suas forças destrutivas em escala cósmica, os Deuses não são invencíveis e todo-poderosos. Se eles escolherem se envolver em uma batalha física, eles podem ser feridos através do armamento ou poder apropriado. Como tal, é possível que os mortais sem nenhum poder divino herdado se igualem ou até ultrapassem os poderes dos deuses. Isso fora confirmado através da lenda do décimo terceiro Cavaleiro de Ouro Asclépio de Ofiúco, cujo poder rivalizava e ameaçava um deus ao ponto dos demais terem que se unir para derrotá-lo, sendo que mesmo após ter tido sua existência apagada da história humana, sua alma continuou a existir desde a era mitológica, tendo conseguido renascer no século XVIII, porém no corpo de seu descendente. Seiya de Pégaso, devido sua linhagem mitológica, fora capaz de realizar feitos miraculosos como ferir e obliterar diversos deuses, tanto os antigos quanto os novos, em ocasiões separadas e ainda prevaleceu sobre eles, tendo inclusive ganhado a alcunha de Assassino de Deuses (神殺し, Kami Goroshi). Shaka de Virgem, atual reencarnação de Buda, fora reconhecido como o "homem mais verdadeiramente próximo dos deuses" por ter sido capaz de regressar do Nirvana através do seu DNA na Armadura de Andrômeda, atravessar o tempo-espaço de mais de 200 anos, projetar sua imagem na Casa de Virgem do século XVIII e enfrentar seu antecessor. Coletivamente, Shiryu de Dragão e Hyoga de Cisne foram capazes de matar Hypnos após ascenderem seus cosmos e armaduras ao nível divino.

PhotonBurst024

Aioria no Episódio G fora capaz de derrotar e matar quatro titãs.

No universo do Episódio G, todos os Cavaleiros de Ouro ascendem seus cosmos ao grau divino temporariamente por diversas vezes em seus confrontos contras os titãs e os gigantes. Todavia, alguns deles mostraram ser mais excepcionais que os outros - Saga de Gêmeos fora capaz de enfrentar Cronos enquanto estava em seu estado espectral em pé de igualdade, Aioros de Sagitário fora capaz de varrer o exército inteiro de de uma só vez, Shaka derrotou Iapeto mesmo após ter ativado seu cosmo planetário, já Aioria de Leão fora reconhecido como o único que possuía um cosmo capaz de destruir os deuses, tendo sido capaz de derrotar e matar quatro eles. Em todo caso, os Cavaleiros de Ouro só conseguiram vencer os Titãs porque Pontos, Mnemoise, Gaia e "Esperança" estavam absorvendo a energia divina deles e os limitando.

Aspros derrota Yohma

Aspros derrota Yohma, hospedeiro de Kairos.

No universo The Lost Canvas, Aspros de Gêmeos fora capaz de rivalizar em poder destrutivo com as divindades conseguindo até mesmo destruir o corpo divino de Kairos. Trabalhando juntos, o Grande Mestre Sage e Manigold de Câncer foram capazes de derrotar e selar Thanatos em combate, embora ao custo de suas vidas. Hakurei de Altar fora capaz do mesmo feito com Hypnos, porém teve que conjurar as almas de todos os Cavaleiros do Século XVI para realizar isso. El Cid de Capricórnio conseguiu os Deuses dos Sonhos em batalha, mesmo estando gravemente ferido na ocasião. Regulus de Leão fora capaz de lutar por conta própria contra os deuses celtas e depois ascender ao estado divino etéreo ao morrer em sua luta final contra Radamanthys de Wyvern, tendo conseguido arrancar a "imortalidade" do corpo do espectro agraciado com o ikhor de Hades. Shion de Áries, após se tornar Grande Mestre, fora capaz de lutar contra o hospedeiro de Kairos e gradualmente superá-lo a ponto de derrotá-lo temporariamente.

Mu manipulando meteoritos

Mu manipulando meteoritos no meio do universo.

No universo Assassin, Mu de Áries, após se tornar aliado de Tomoe, fora capaz de feitos comparáveis aos do deuses que controlam o Nono Sentido, conseguindo lançar um ataque psíquico que poderia destruir a humanidade inteira e depois lançar um imenso meteorito que poderia destruir a Terra completamente se não fosse os esforços combinados de Shion e Kiki para detê-lo. Aiolos, como Grande Mestre do Santuário de Tomoe fora capaz de exceder os feitos divinos de Mu, viajando pelo tempo-espaço facilmente ou tendo uma forma de onipresença que o permitia ver vários lugares ao mesmo tempo. Shun de Virgem fora dito por Shura de Capricórnio ter superado Shaka e alcançado uma forma divina.

No universo Ômega, uma série de mortais ascende o poder divino após despertarem o Cosmo Supremo, porém, afora Seiya de Sagitário por seus feitos passados, apenas Kouga de Pégaso é digno de nota, como também fora apelidado de Assassino de Deuses por suas vitórias diante dos grandes deuses Apsu e Saturno, embora em ambos os casos, ele precisou de auxilio externo para derrotá-los.

Na série Alma de Ouro, os doze Cavaleiros de Ouro conseguiram também ascender ao nível divino com suas armaduras e derrotaram Loki em batalha, o selando logo depois.

Trivialidades

  • Segundo o Hipermito, os deuses Hades, Zeus e Poseidon eram originalmente humanos. Todavia, isso é contradito tanto no mangá quanto anime, onde ambos declaram que eles são filhos dos titãs.
  • Humanos que se aproximaram do poder dos deuses, como Buda, não se incluem na categoria.
    • Além disso, Buda também não é considerado um deus na realidade.
  • Apesar de diversos deuses gregos terem sido chamados de "Grandes Deuses" através dos tempos, apenas quatro foram referidos de tal forma na série: Urano, Pontos, Érebo e Eros.
    • Gaia é considerada uma existência superior a estes deuses.
  • Embora os Guerreiros Deuses de Asgard se intitulem assim, eles não são divindades.
  • Kanon de Gêmeos e Unity de Dragão Marinho foram os únicos mortais conhecidos que conseguiram enganar um Deus, no caso, Poseidon.
    • Yohma (Kairos) fora mais além, tendo sido o principal instigador da Guerra Santa do século XVIII manipulando tanto as ações de Hades quanto Atena.
  • De acordo com Dohko de Libra e Shion de Áries, o Misopethamenos é uma habilidade praticada exclusivamente pelos deuses.
  • Em Os Cavaleiros do Zodíaco Ômega é sugerido que os mortais que se tornam deuses, tem sua mentalidade humana gradativamente extinguida até o ponto de ele se esquecer de seu propósito inicial, tornando-se um deus maligno.
    • Isso contradiz o Hipermito que afirma que alguns deuses existentes foram seres humanos no passado.
  • Todas as divindades malignas compartilham a mesma aura escura ou da cor roxa ao manifestarem seus cosmos.
  • O título "Deus da Guerra" parece ser a intitulação mais recorrente entre os deuses, com um total de oitos deles carregando a alcunha.

Referências Bibliográficas e Notas

  1. 1,0 1,1 1,2 1,3 1,4 Hipermito
  2. 2,0 2,1 2,2 2,3 Saint Seiya: Episódio G
  3. Os Cavaleiros do Zodíaco - Conrad, Edição 31, páginas 10 e 11.
  4. Saint Seiya: Prólogo do Céu
  5. 5,0 5,1 Os Cavaleiros do Zodíaco: Saintia Shô
Raças de Saint Seiya
Céu Deuses* | Anjos
Terra Humanos | Muvianos* | Centauros | Dríades | Fantasmas | Semideuses
Inferno Fadas | Ninfas
Tártaro Anjos caídos* | Demônios | Monstros | Titãs* | Gigas
Outras raças não especificadas Marcianos | Palasitos*
Divindades
Deuses Primordiais
(Episódio G)
Urano (o Céu) • Pontos (o Mar) • Érebo (a Escuridão) • Eros (o Amor) • Gaia (a Terra)
Deuses Olímpicos ZeusPoseidonHadesAtenaApoloÁrtemisAresHermesAfrodite
Clã dos Titãs
(Episódio G)
CronosHyperionCéosIapetoCréosOceanoRéiaTêmisMnemôsineTéiaTétisFebePrometeu
Clã dos Gigas
(Episódio G)
LyaxPhloxAnemosBronteSpateZugilosHoplismaDrakonThêr
Deuses dos Sonhos
(The Lost Canvas)
OneirosMorfeuFântasoÍceloFobetor
Panteão Egípcio
(Episódio G)
AnubisApófis
Panteão Celta
(The Lost Canvas)
LugBalorEthlinn
Panteão Asteca
(The Lost Canvas)
TezcatlipocaQuetzalcóatl
Panteão Romano MarteSaturnoDianaVulcanoBacoRômuloCupidoPlutão
Panteão Nordico OdinLoki
Outras Divindades TártaroCaosCronosKairosHypnosPallasThanatosDeimosFobosTifãoAbelNikéÉrisDeusEuríbiaPerséfoneApsu
Semideuses e portadores de Ikhor KardiaTenmaDohkoRadamanthysEdenShura (G) • Sigurd
Pseudodeuses AriaCavaleiro de OfiúcoFeiyanSagaBalder
Mundos
Planetas TerraPlaneta MartePlaneta Saturno
Reinos TenkaiSekaiKaikaiMeikaiYumekaiMakai
Dimensões UniversoConfins do Tempo • Hiperdimensão

Iniciar uma Discussão Discussões sobre Deuses

  • Deuses que eram humanos

    3 mensagens
    • A mitologia explica isso com a ambrozia. Sengundo o mito, aquele que comesse ambrozia tornava-se um deus. Exemplos de humanos que se torna...
    • Essa pergunta q nao tem nada haver.  Nos animes os deusessão encarnados na forma humana e não são humanos em si. Por exemplos, Saori...
  • Jabu

    4 mensagens
    • jabu owna geral
    • jabu nao desistiu da saori ainda, kkkk