FANDOM


O Usurpador do fundo do mar, enganando até os Deuses!

Enciclopédia Oficial.

Irmão gêmeo de Saga. Preocupado com a maldade de seu coração, Saga aprisiona-o no calabouço do despenhadeiro do Cabo Sunion. Por um acaso do destino, Kanon acaba libertando a alma de Poseidon, o Imperador dos Mares que havia sido selado por Atena. A partir disso, fez-se passar por General Marina de Dragão Marinho, comandando os outros Marinas com planos de dominar tanto a terra como o mar. Redime-se posteriormente e torna-se Cavaleiro de Ouro da Casa de Gêmeos, sucedendo o seu irmão Saga. Os seus poderes são tão fortes quanto os de seu irmão, o que permitiu que ele lutasse de igual para igual com os três grandes Juízes do Mundo dos Mortos.

Origem do Nome

Características

Aparência

Como irmão gêmeo de Saga, Kanon obviamente se parece muito com o mesmo, possuindo cabelos longos azuis, olhos verdes e uma estatura bem elevada. Quando está sem armadura é visível que Kanon utiliza roupas muito simples: uma camisa em tom de azul petróleo e uma calça bege clara.

Personalidade

Enquanto Saga oscilava entre o bem e o mal, Kanon era totalmente maligno, sendo o responsável direto por incutir o mal em Saga, Um homem perigoso e astuto, ter falhado em convencer o irmão a ajudá-lo em seus planos de dominação não deteve Kanon, nem fê-lo redimir-se. Ao descobrir o caminho que levava ao Reino de Poseidon, Kanon vê ali uma oportunidade de dar prosseguimento as suas ambições. Convincente em sua atuação como aliado de Poseidon, foi capaz de enganar o deus dos mares, bem como todos os Generais Marinas, arrastando-os numa luta contra Atena e seus Cavaleiros, intencionando que os dois lados se destruíssem no processo, o que lhe abriria caminho ao poder. Esse raciocínio e sangue frio para executá-lo torna Kanon um dos conspiradores mais sagazes já vistos. Essa índole impetuosa mudou radicalmente quando Kanon reconhece o peso de seus crimes.

Como defensor da justiça, Kanon tem uma postura firme e convicta, embora pareça dar preferência a agir sozinho. Dispensa atuar em equipe, mas não hesita em prestar auxílio.

Histórico

Passado

Saga aprisiona Kanon no Cabo Sunion

Saga aprisiona Kanon no Cabo Sunion

Treze anos atrás, Kanon, irmão gêmeo do Cavaleiro de Ouro, Saga de Gêmeos, entra em atrito com o mesmo. Tudo por conta da ideia de Kanon que tenta convencer Saga de usarem seus poderes para matar Atena. Apesar de gêmeos, Kanon e Saga eram muito diferentes em caráter, tendo Kanon, uma personalidade maléfica. Ao saber que o Grande Mestre havia escolhido Aiolos de Sagitário para sucedê-lo, Kanon tenta persuadir Saga, o sugerindo para que os dois se juntassem, e destruíssem o Santuário. Ao ver o quão mal era Kanon, Saga o aprisiona na Prisão do Cabo Sunion, um lugar de onde ninguém conseguia sair.

Kanon encontra a Lança de Poseidon

Kanon encontra o Tridente de Poseidon

Apesar das condições adversas, como o fato da maré diariamente encobrir a prisão, Kanon sobrevive, alimentando seu ódio e desejo de vingança para com o irmão e Atena. Certo dia, enquanto forçava as rochas procurando uma saída, nota um estranho brilho vindo da parede. Com facilidade Kanon arrebenta a parede de pedras, encontrando o Tridente de Poseidon, com o Selo de Atena. O lado ambicioso de Kanon o faz tentar tirar o tridente e usar seu poder em benefício próprio. Ao conseguir arrancar a lança, o chão sob seus pés o traga, levando-o para além do fundo do mar.
Kanon conversa com a alma de Poseidon

Kanon conversa com a alma de Poseidon.

Kanon desperta na Fortaleza Submarina de Poseidon. Caminhando pelo lugar, chega a uma sala onde estão todas as Escamas de Poseidon bem como a Ânfora de Atena. Kanon apanha o objeto, rompendo o selo e libertando a alma de Poseidon. Kanon é rápido em apresentar um motivo para estar ali, se apresentando como o General Marina Dragão Marinho. Ganhando a confiança do deus dos mares, Poseidon menciona que dormiria pelos próximos anos no corpo de Julian Solo, pedindo antes para Kanon o acordar treze anos depois. Contudo, Kanon decide usar aquilo a seu favor, controlando o exército dos deus dos mares e seu hospedeiro.

Saga de Poseidon

Kanon surge como o misterioso Dragão Marinho

Kanon surge como o misterioso Dragão Marinho

Usando a falsa imagem de General Marina, Kanon passa a atuar como comandante-chefe das forças de Poseidon. Confrontando os Cavaleiros de Bronze, Seiya de Pégaso, Shun de Andrômeda, Hyoga de Cisne e Shiryu de Dragão, Kanon faz pouco do nível dos adversários, achando que deveriam haver chamado os Cavaleiros de Ouro, partindo para esperar os Cavaleiros em seu próprio pilar.

Kanon revala sua identidade

Kanon revela sua identidade

Eventualmente, Kanon intercepta Ikki de Fênix, o qual pretendia entrar no Templo de Poseidon, revelando ao Santo de Bronze sua real identidade como irmão gêmeo de Saga. Seu ataque inicial, Explosão Galáctica, é suficientemente poderoso para deixar Ikki debilitado. Mas Kanon não demonstra intenção de prender-se numa luta demorada, e lembrando-se que como a fênix da mitologia, Ikki também tinha a capacidade de renascer. Kanon opta eliminar o problema, mandando Ikki para outra dimensão por meio de seu Triângulo de Ouro, condenando-o a vagar pelo espaço-tempo eternamente.
Kanon e Sorento sentem duas poderosas cosmo-energias se dirigindo aos Pilares do Atlântico norte e sul

Kanon e Sorento sentem duas poderosas cosmo-energias se dirigindo aos Pilares do Atlântico norte e sul.

Deixando de sentir os Cosmos dos Cavaleiros de Bronze, Kanon conclui que todos os Cavaleiros morreram, tal qual cinco dos Generais Marinas. Perdido em pensamentos, encontra Sorento de Sirene, que o questiona do motivo de estar próximo ao Templo de Poseidon. Kanon responde ter se livrado de um dos Cavaleiros, e que a vitória de Poseidon era certa. Contudo, Sorento não pensa igual, e expõe suas suspeitas quanto a idealização da guerra ter sido realmente vontade do deus dos mares ou arquitetada por alguém nas sombras. Finalmente o General de Sirene pergunta quem realmente Kanon era, e se o mesmo vinha agindo a serviço de Poseidon. Kanon adverte Sorento que o mesmo dizia coisas perigosas. Nesse momento, a conversa é interrompida por duas poderosas cosmo-energia que se dirigiam aos Pilares dos Oceanos Atlântico norte e sul. Kanon dá por encerrada a conversa, pelo menos por enquanto, determinando a Sorento que voltasse a seu pilar e evitasse que o reino submarino fosse arrasado.

Kanon regressa ao Pilar do Oceano Atlântico Norte. Não encontra ninguém, mas sente uma cosmo-energia agressiva nas redondezas. Por esse motivo, Kanon decide permanecer de guarda, ignorando os Cosmos que se dirigiam ao Templo de Poseidon.

O dono da poderosa cosmo-energia se mostra como Ikki de Fênix. O Cavaleiro de Fênix explica que Saga também usara uma técnica similar para mandá-lo para outra dimensão, mas que conseguiu retornar. Ikki provoca Kanon ao dizer que mesmo gêmeos, Kanon era inferior a Saga. Kanon usa novamente a Explosão Galáctica, mas Ikki se protege, contra-atacando com o Golpe Fantasma de Fênix. Revivendo seu passado, Kanon conta tudo o houve, como o fato de ter incitado o mal dentro de Saga,o renascer de Poseidon e sua ambição de governar a Terra e o Mar.

Naquela altura, Sorento de Sirene aparece junto de Kiki que entrega a Ikki um dos escudos da Armadura de Libra. Tendo sabido que a batalha foi obra de Kanon e não vontade de Poseidon, Sorento assume uma postura neutra em relação os Cavaleiros, dizendo não importar mais quem perdesse a vida. Ikki aproveita e destrói o Pilar do Oceano Atlântico Norte. Aquilo provoca a cólera de Kanon, que passa a massacrar o Cavaleiro de Fênix, culpando a ele e os demais Cavaleiros por destruírem seus planos. Porém Sorento tinha contas a acertar com Kanon, pelo fato de suas ambições terem custado a vida de tantos companheiros Marinas. Kanon quase é derrotado por Sorento, mas Ikki o impede dizendo que precisava saber de mais uma coisa: o local onde se encontra a Ânfora que Atena, único objeto capaz de prender o espirito de Poseidon novamente. Kanon parece não gostar da pergunta e Ikki diz que Kanon teria a obrigação de dar a resposta, pois deve mais do que sua vida a Atena. Pressionado, Kanon acaba revelando que a Ânfora está junto com a própria Atena, dentro do Pilar Principal.

Kanon salva Atena da Lança de Poseidon

Kanon salva Atena do Tridente de Poseidon

Imediatamente Ikki abandona a luta e parte para auxiliar os Cavaleiros. Kanon tenta impedir, mas Sorento intervém. O Marina de Sirene reconhece o sacrifício de Atena em prol da humanidade, até então considerada corrupta, mas que Sorento admite que nem todos são assim. Em última analise, Sorento diz que o amor de Atena devia ser reconhecido e, caso Kanon ainda se negasse a acreditar, ele teria de concordar com Ikki. Sorente parte, havendo perdido totalmente a vontade de lutar contra Kanon.

Sozinho, Kanon reconhece que foi o Cosmo de Atena que o fez sobreviver tanto tempo no Cabo Sunion. No final da luta contra Poseidon, Kanon se arrepende de seus crimes, e protege Atena de receber o Tridente do Deus dos Mares.

Saga de Hades

Os Cavaleiros renegados são confrontados pelo guardião da Casa de Gêmeos

Os Cavaleiros Renegados enfrentam o novo guardião da Casa de Gêmeos.

Desde o término da batalha contra Poseidon, muitos pensavam que Kanon havia morrido. No entanto, ele sobreviveu a destruição do Templo Submarino, foi ao Santuário e obteve o perdão de Atena, substituindo Saga como Cavaleiro de Gêmeos. Disposto a fazer valer sua redenção, enfrenta o "Trio das Lamentações" composto por Shura, Camus e seu irmão Saga, todos revividos por Hades deus do Submundo. Saga fica para combatê-lo, despachando Shura e Camus.

A conversa é tensa. Saga relembra de haver trancafiado Kanon no Cabo Sunion, de onde nenhum poder humano poderia sair, e imaginava que a aaquela altura Kanon tivesse recebido o castigo dos deuses. Kanon pergunta se não teria sido Saga que recebera o castigo divino, já que por falhar em matar Atena, nada restou-lhe senão o suicídio e posterior serventia a Hades. Saga despreza tudo o que houve, e pergunta quem outorgara a Kanon o direito de proteger a Casa de Gêmeos bem como de usar a Armadura de Gêmeos. Kanon afirma ter recebido o perdão de Atena, relembrando que ainda no Templo Submarino, ele compreendera o enorme amor e compaixão do Cosmo de Atena que lhe arrancara todo o mal. E reitera, por fim, que lutaria pela justiça e não permitiria a passagem de seres malignos. Saga zomba de tal promessa, dizendo que Kanon havia deixado Shura e Camus passarem, porém Kanon lembra da ilusão do Labirinto de Gêmeos, o qual prenderia os dois para sempre. Saga se cansa do que considera ser uma atuação patética por parte de Kanon, lançando um poderoso contra-ataque que atinge diretamente Kanon na Sala do Grande Mestre. Com isso as ilusões na Casa de Gêmeos terminam.

Kanon chorando

Kanon chora após receber o perdão de Milo.

A devoção de Kanon não é suficiente aos olhos de Milo de Escorpião, que acha a presença de Kanon uma ofensa dado ao que ele e o irmão fizeram ao Santuário. Milo ordena que Kanon parta, mas o mesmo se nega. Essa recusa resulta em Milo disparar consecutivos golpes da Agulha Escarlate. Apesar de Kanon em momento algum esboçar qualquer reação, Milo sente um poder tão grande quanto o de Saga, e num eventual combate, Milo poderia estar em desvantagem. Aquilo, mais a inação de Kanon fazem Milo decidir aplicar o último ataca, Antares. O golpe, porém, estanca a hemorragia das feridas. Kanon havia passado no teste de Milo. Após o confronto, Milo retorna a Casa de Escorpião, deixando Atena aos cuidados de Kanon.

Durante o resto da invasão dos espectros, Kanon permanece no Salão do Mestre, ao lado de Atena para protegê-la, e de lá, assistiu o choque de energia das duas "Exclamações de Atena, lançadas na Casa de Virgem. Inclusive, esteve presente no suicídio de Atena passando a Adaga Dourada para seu irmão Saga.

Após uma série de eventos, inclusive as supostas mortes de Atena e Shaka, Kanon veste a Armadura de Ouro de Gêmeos, desperta seu oitavo sentido e parte junto com Dohko de Libra para invadir o Mundo dos Mortos.

Combates no Submundo

Ao chegar no inferno, Kanon salva Shun e Seiya de serem derrotados pelo chicote de Lune de Balron. Lune fica atordoado com o poder das ilusões criadas por Kanon e tenta revidar usando seu Chicote de Fogo, mas Kanon destrói tanto o chicote quanto o próprio espectro. Seu próximo oponente é Radamanthys de Wyvern, um dos três juízes do inferno.

Radamanthys ataca Kanon, mas o mesmo consegue escapar. Kanon diz a Radamanthys que ele só está vivo por causa da barreira de proteção do Castelo de Hades que reduziu o poder dos Cavaleiros de Ouro, Mu, Milo e Aiolia, que Wyvern havia enfrentado até o momento, em 10% e completa dizendo que agora ele conhecerá a verdadeira força dos Cavaleiros de Ouro. Apesar disso, Radamanthys consegue atingir Kanon com a sua Destruição Máxima, jogando o geminiano longe. Radamanthys se prepara para o ataque final, porém Kanon é mais rápido e atinge com o Satã Imperial, deixando o espectro atordoado. Kanon acaba desfazendo a técnica em consequência do surgimento de meia dúzia de espectros, subordinados de Radamanthys. Após isso, Radamanthys se retira da luta (a mando de Pandora, que exigia a sua presença em Giudecca) e diz que acertará as contas com o Cavaleiro de Gêmeos mais tarde. Kanon derrota todos os subordinados de Radamanthys com sua Explosão Galáctica e segue em frente.

Kanon derrota Flégias de Lycaon

Kanon derrota Flégias de Lycaon

Em algum momento, Kanon se une a Shiryu de Dragão e Hyoga de Cisne, e os três se põe a atravessar as prisões, derrotando alguns espectros no caminho. Na Quarta Prisão o espectro Flégias de Lycaon aguardava o trio, a bordo de uma jangada. Os poderes combinados de Shiryu e Hyoga simplesmente não surtem efeito em Flégias, que com seu Uivo Infernal, derrota os dois ao mesmo tempo. Flégias diz ter ordens para levar os três para a pior prisão a fim de servirem de exemplo. Kanon é o próximo a quem Flégias ataca, porém o Cavaleiro de Gêmeos diz que o mesmo golpe não funciona duas vezes contra um Cavaleiro. Com a Explosão Galáctica, Kanon derrota Flégias.

Kanon fica para combater Radamanthys

Kanon fica para combater Radamanthys

Seguindo adiante, já na Quinta Prisão, Kanon elimina Stand de Besouro Mortal com extrema facilidade. Shiryu e Hyoga se juntam ao Cavaleiro de Gêmeos a tempo de verem o próximo inimigo. Novamente Radamanthys. Kanon manda Shiryu e Hyoga seguirem em frente, assumindo a luta contra Radamanthys. Desta vez, o geminiano se defende facilmente da Destruição Máxima, contra-atacando com a sua Explosão Galáctica atingindo em cheio o juiz. Nesse momento, chegam Aiacos de Garuda e Minos de Griffon. Kanon mantém a postura confiante, mas nada pode fazer frente os poderes combinados dos dois juízes, acabando por ser derrotado. Kanon escapa da morte graças a Ikki de Fênix, que é quem assume a luta contra Aiacos de Garuda e o derrota. Ikki intima os juízes restantes, porém é teletransportado por Pandora até Giudecca. Kanon volta a ficar sozinho contra os juízes, porém Minos desiste de enfrentar o Santo de Ouro quando sente que Hades está em perigo.

Kanon usa a Explosão Galáctica num ataque suicida para matar Radamanthys

Kanon usa a Explosão Galáctica num ataque suicida para matar Radamanthys

O combate final é entre Kanon e Radamanthys. A Armadura de Gêmeos começa a emitir um brilho singular, algo que Kanon interpreta como um sinal de emergência. Com pressa num gesto incompreensível, Kanon tira a Armadura de Gêmeos. Vulnerável, Radamanthys não espera e lança sua Destruição Máxima. Kanon resiste, e elevando seu Cosmo ao máximo, agarra-se a Radamanthys e se projeta em direção os céus, usando a Explosão Galáctica num ataque suicida que mata ambos. Com isso Kanon redime-se totalmente de seus crimes.

Filmes

Prólogo do Céu

Saga e Kanon em Prólogo do Céu

Kanon e Saga tem suas almas seladas pelos deuses.

Em Prólogo do Céu, Kanon aparece ao lado de seu irmão Saga. Ele e todos os outros Cavaleiros de Ouro, que morreram no inferno, têm suas almas seladas, como castigo por terem se rebelado contra os deuses.


Habilidades de Luta

Kanon - Manipulação do Cosmo

Kanon - Manipulação do Cosmo;

Em batalha, Kanon situa-se no mesmo patamar de poder de seu irmão gêmeo Saga. Hábil no manejo do Cosmo, Kanon pode atacar na velocidade da luz, como fez ao derrubar Seiya e Shun com um simples movimento. Um estrategista antes de mais nada, Kanon utiliza a habilidade que melhor adequá-se ao inimigo, aumentando as chances de vencer. Seu principal golpe explora a essência da pura destruição, como no caso da Explosão Galáctica, potente o suficiente a ponto de incapacitar Ikki num primeiro momento, ou derrotar múltiplos inimigos como fez no Submundo.

Outra habilidade notável é a capacidade de manipular a mente das pessoas, tornando-as desprovidas de vontade própria.

A manipulação do espaço tempo também é um de seus trunfos. Kanon tanto pode abrir portais para dimensões inexploráveis como enviar seus inimigos para tais espaços, a fim de se poupar de uma luta cansativa.

Uma habilidade menor, porém igualmente poderosa, é o fato de Kanon poder controlar sua armadura à distância, usando seu cosmo, ficando imperceptível ao inimigo, conhecida como "Armadura Remota". No entanto, é impossível para Kanon utilizar todo o seu poder com esta habilidade. Kanon também pode criar uma ilusão dentro da Casa de Gêmeos, conhecida como o "Labirinto de Gêmeos". O inimigo fica preso a essa ilusão, correndo pela Casa de Gêmeos sem jamais encontrar a saída, sendo capaz de funcionar até mesmo com Cavaleiros de Ouro.

Técnicas Secretas

Triângulo de Ouro

Triângulo de Ouro

Satã Imperial (Kanon)

Satã Imperial

Explosão Galáctica (Kanon)

Explosão Galáctica

Patentes

Escama de Dragão Marinho
Antecessor
Desconhecido
Sucessor
Ninguém
Armadura de Gêmeos
Antecessor
Saga
Sucessor
Saga

Curiosidades

  • Enquanto esteve aprisionado, a vida de Kanon foi salva inúmeras vezes pelo cosmo de Atena ainda bebê. Esse foi o motivo pelo qual ele redimiu-se depois.
  • Kanon é capaz de usar a “Explosão Galáctica”, mas essa técnica não é originalmente dele. Ele mesmo revela que “roubou” as técnicas do seu irmão Saga.
  • Apesar do seu poder, Ikki diz que Kanon não tem o mesmo poder que Saga, mas que quando Kanon ficou zangado ao saber do despertar de Poseidon, sua raiva aumentou tanto que seu poder ficou no mesmo nível de Saga quando este era maligno.
  • Kanon é um dos dois únicos humanos que conseguiram enganar um Deus.
  • Kanon não queria despertar Poseidon, e sim se aproveitar de seu poder para controlar os seus Marinas e assim dominar a Terra, além de derrotar Atena.
  • A técnica “Triangulo de Ouro” de Kanon é uma "homenagem" ao famoso Triângulo das Bermudas. Prova maior disso, é que o Ex-marina era defensor do Pilar do Atlântico Norte e este local, muito conhecido pelos inúmeros mistérios de desaparecimento de aviões e navios, situa-se na parte do norte do Oceano Atlântico.
  • Embora Kanon não possua a técnica “Outra Dimensão” de Saga, ele a usa em Saint Seiya: The Hades.

Navegação