FANDOM


Mime, cuja maravilhosa melodia é o réquiem que seduz a audiência para a morte.

Hilda de Polaris.[1]

Mime é um dos sete Guerreiros Deuses de Asgard escolhidos por Hilda de Polaris para destruir o Santuário. Na batalha contra os Cavaleiros de Atena, Mime enfrenta Shun de Andrômeda, saindo vitorioso do combate. Logo depois Mime luta contra Ikki de Fênix, perdendo a vida apenas após a última e derradeira troca de golpes.

Etimologia

O nome é inspirado no anão Mime, do antigo nórdico O Sábio, um dos Nibelungos da ópera O Anel do Nibelungo, de Richard Wagner.

Depois da morte de sua mãe, Siegfried é criado pelo anão nibelungo Mime, irmão do rei Alberich. Siegfried odeia Mime, mesmo sem saber que Mime o está criando apenas para que ele, quando crescer, mate o dragão Fafnir de modo que ele, Mime, possa apoderar-se do anel dos nibelungos. Siegfried forja os pedaços de Nothung, a espada mágica de seu pai e recupera-a. Com ela, ele mata o dragão Fafnir. Um pingo do sangue do dragão cai na mão de Siegfried e este leva-a à boca. Imediatamente, Siegfried passa a compreender a linguagem dos pássaros. Estes lhe contam sobre a existência do anel no interior da caverna e sobre as intenções malévolas de Mime. Siegfried apodera-se do anel e mata Mime.

Richard Wagner, por sua vez, se inspirou no personagem mitológico Regin para criar seu personagem Mime: Na Saga dos Volsungos, Regin é uma personagem da mitologia nórdica, filho de Hreidmar e irmão de Fafnir. Era dotado de extrema inteligência e destreza, ao ponto de ter construído uma casa de ouro e gemas para seu pai e ter construído para o rei Alberich o Tarnhelm, um elmo de invisibilidade. Regin e seu irmão, Fafnir, mataram Hreidmar a fim de obter o ouro amaldiçoado.

Histórico

Infância e Treinamento

Mime e seus pais

Mime e seus pais

Mime nasceu em um pequeno vilarejo de Asgard, o qual, para a sua infelicidade, havia entrado em guerra. Seu pai biológico era um guerreiro comum a serviço de sua vila, e sua mãe uma dona de casa. Num certo dia de nevasca, Folken, um poderoso guerreiro da vila inimiga, tinha entrado em combate e apesar de Folken não ser um homem mau, havia entrado na guerra e provavelmente tirou vidas, derrotou o pai de Mime, este que na época era recém-nascido, e por piedade tentou em vão poupar seu pai da morte. Porém como um guerreiro honrado, o pai de Mime tentou matar Folken mesmo ferido, mas Folken o matou com um certo arrependimento ao ver que tinha ferido fatalmente a esposa de seu adversário, a qual estava segurando seu marido nas mãos antes de ser atingida. Para piorar a consciência de Folken, o casal tinha um bebê, Mime, percebido por Folken pelo choro que emitia devido ao barulho da luta. Folken, na tentativa de purgar os seus pecados e salvar o garoto por misericórdia, o leva até sua casa, mesmo passando por um tempestade de neve.[2][3]

Mime após matar Folken

Mime após matar Folken

Folken criou Mime como se fosse seu filho, cuidando de doenças, educação, sempre como se fosse um pai biológico. Mime desde pequeno tinha um bom gosto para a música, apesar de Folken desaprovar e apenas querer que a criança fosse um Guerreiro Deus, o submetendo a horas de treino pesado. Folken chegou até mesmo à grosseria de destruir a harpa de Mime e o proibir de tocar música. Quando Mime era adolescente, ele achou um pingente o qual tinha a foto de duas pessoas. Segundo Folken, que tinha acabado de chegar, eram os pais biológicos de Mime, os quais ele tinha matado e de acordo com ele, eram fracos, iguais a Mime que não aceitava o rigoroso treinamento para se tornar um Guerreiro Deus. Mime enfurecido mata com um golpe seu pai, o qual pede perdão antes de morrer a Mime, porém não sendo ouvido devido a raiva de seu filho adotivo.[2][3]

Saga de Asgard

Mime é escolhido como o Guerreiro Deus de Benetnasch

Mime é definido como o Guerreiro Deus de Benetnasch

Mime é escolhido como um dos lendários Guerreiros Deuses de Asgard para proteger Hilda de Polaris e as gélidas terras do Norte.[1] Mais tarde, no Palácio Valhalla, Hilda declara à seus guerreiros que chegou o momento deles destruírem Atena e seu Santuário. Eles deixarão sua terra cercada pelo gelo e seguirão para um lugar sob o sol, onde Asgard governará o mundo.[4] Posteriormente, Hilda, acompanhada de seus Guerreiro Deuses, vai ao encontro de Atena e seus Cavaleiros que estão em Asgard e com Freya ao seu lado. Um confronto entre os dois grupos é iniciado. Hilda ataca com várias esferas de energia, mas Atena consegue deter todas com seu poder. Uma batalha de Cosmo se inicia: Mime enfrenta Shun de Andrômeda enquanto Siegfried de Dubhe confronta Seiya de Pégaso e Shido de Mizar enfrenta Hyoga de Cisne. Os poderes de ambos os lados são iguais. Saori fica no lugar de Hilda utilizando o seu Cosmo para impedir que o gelo derreta. Hilda esnoba a atitude de Atena, dizendo que ela não aguentará mais do que um dia. A representante do deus Odin recua junto com seus Guerreiros Deuses. Thor de Phecda fica para enfrentar os Cavaleiros de Atena.[4]

A corrente hesita em atacar

A Corrente de Andrômeda hesita em atacar Mime

Mime entra em ação após a derrota dos Guerreiros Deuses Thor, Fenrir de Alioth e Hagen de Merak. À espera de seu oponente, Mime toca sua Lira. O som do seu instrumento musical atrai o Cavaleiro de Andrômeda. Shun ataca o Guerreiro Deus com sua Corrente de Andrômeda, porém antes que pudesse atingir seu alvo, a corrente hesita e para de avançar. Surpreso, Shun questiona sem entender a situação. As correntes são rápidas e atacam mortalmente quando o oponente demonstra uma clara vontade de matar, porém como Mime não está ávido em tirar a vida de Shun, as correntes não o atacam. O Guerreiro Deus não tem um Cosmo ameaçador. Seu Cosmo na verdade está inundado por uma profunda tristeza.[5]

Mime ataca na Velocidade da Luz

Mime ataca na Velocidade da Luz

Mime diz que Shun não poderá vencê-lo, já que ele não gosta de lutar como sua corrente indica, e que não há razão para Andrômeda lutar. Em seguida, Mime desfere poderosos golpes na velocidade da luz. Pressionado, Shun se defende com a Defesa Circular, mas o esforço é inútil, pois Mime consegue atravessar a defesa de Shun e acertá-lo com um golpe certeiro. Shun se levanta e continua atacando com as Correntes de Andrômeda, mas Mime cria uma ilusão ao tocar sua Lira, criando vários "clones" seu espalhados pelo local. As Correntes de Andrômeda não conseguem encontrar o verdadeiro Mime. Shun faz vários ataques com sua corrente, todos sem sucesso. Quando pensou ter finalmente pego o Guerreiro Deus, o verdadeiro Mime aparece atrás de Shun e desfere vários golpes na velocidade da luz. Mime se aproxima de Shun, golpeando-o novamente, de forma violenta.[5]

Shun vs Mime

Shun vs Mime

O Guerreiro Deus questiona porque Andrômeda insiste em lutar e Shun responde que precisa salvar Atena e proteger a Terra. Mime diz que é bobagem, pois nunca haverá paz na Terra. O Guerreiro Deus consegue incentivar Shun a pensar em abandonar as batalhas, fazendo-o perguntar a si mesmo quantos mais ele terá que ferir em nome da justiça. O resultado de uma batalha sempre será outra batalha. Mime fala que Andrômeda só vai parar de lutar quando estiver morto e prepara-se para ataca-lo, mas um Cosmo desconhecido por Mime surge repentinamente e desaparece logo depois. Shun se enche de esperança. Ele queima o seu Cosmo e se prepara para lutar novamente. [5] Mime começa a tocar a sua Lira, criando novamente vários “clones”. Shun não consegue acertar Mime, sendo golpeado e caindo no chão. O Cavaleiro de Bronze põe-se de pé outra vez e faz sucessivos ataques com suas corretes, mas Mime leva vantagem novamente.[6]

Mime é pego pela Corrente de Andrômeda

Mime é pego pela Corrente de Andrômeda

Mime continua tocando sua Lira, se preparando para outro ataque, porém a luz do sol surge e revela sua sombra, indicando a verdadeira posição do Guerreiro Deus. Shun aproveita a chance e lança a Onda Relâmpago em Mime, que tem seu elmo removido e o braço esquerdo preso pela corrente. Shun revela que descobriu como a habilidade de Mime funciona. O Guerreiro Deus parabeniza Andrômeda, que afirma que para suas correntes voltarem a ter todo o seu poder, basta ele não escutar a melodia da Lira de Mime. Entretanto, as correntes se tornam inúteis mais uma vez, mesmo sem Mime tocar seu instrumento musical. O Guerreiro Deus se livra facilmente da corrente em seu braço esquerdo. Shun então retira a sua Armadura, para surpresa de Mime.[6]

Réquiem de Cordas

Shun preso no Réquiem de Cordas

O Guerreiro Deus fica um pouco irritado com as palavras de Shun, que queima o seu Cosmo intensamente. Shun está determinado a vencer Mime e ataca com a Corrente Nebulosa, jogando Mime para longe. O Guerreiro Deus fica surpreso pelo fato da Corrente Nebulosa adquirir cada vez mais força. Shun pede a Safira de Odin e em seguida ataca com a Tempestade Nebulosa, após ter seu pedido negado. Mime é atingido, porém acaba sendo salvo pelas cordas da sua Lira, que o seguraram durante a tempestade de Shun. Mime admite que pode ter subestimado Shun e diz que não cometerá o mesmo erro novamente. Em seguida, Mime começa a estrangular Andrômeda com seu Réquiem de Cordas. Quando Shun estava prestes a morrer, penas do Fênix rompem as cordas de Mime. Ikki de Fênix, irmão de Shun, surge para salvá-lo.[6]

Mime vs Ikki

Mime vs Ikki

Mime ataca Ikki, que com muita agilidade consegue desviar de todos os ataques. Mime começa então a tocar a sua lira, criando ilusões na frente de Ikki. Shun tenta avisar para Ikki, que neste momento já está atordoado, a não ouvir a lira. Mime se vangloria dizendo que foi muito fácil e ataca Ikki com um golpe explosivo. O Cavaleiro de Fênix reaparece no ar, atrás de Mime, atacando com a Ave Fênix. O Guerreiro Deus desvia da técnica de Ikki e bloqueia seu soco com uma mão. Mime diz que já escutou muito sobre Ikki e sobre suas habilidades. Fênix resolve atacar, mas Mime se defende com apenas uma corda da sua Lira, que empurra Ikki para trás aos poucos. Em seguida, Mime ataca Ikki com sucessivos golpes, com mais poder e velocidade. Ikki observa que Mime não gosta de lutar, assim como Shun havia percebido antes.[2]

Mime é atingido pelo Golpe Fantasma de Fênix

Mime é atingido pelo Golpe Fantasma de Fênix

Mime então começa a contar a sua história, quando ele matou o seu pai com seus próprios punhos ao descobrir que seus verdadeiros pais acabaram mortos por Folken. Ikki ri da situação de Mime e diz que o Guerreiro Deus é como ele era no passado, onde ele chegou a erguer o seu punho contra Atena, seu irmão e seus amigos. Ikki então ataca com o Golpe Fantasma de Fênix, obrigando Mime a ver o seu verdadeiro passado. Folken era uma pessoa muito rude e dura, é verdade, mas no fundo sempre amou Mime e sempre o protegeu. Mime fica tocado ao perceber que não se trata de uma ilusão e sim uma lembrança verdadeira que estava escondida dentro do seu coração. Folken na verdade havia tentado poupar os pais de Mime, mas se viu obrigado a matá-los. A história é triste e comovente. Mime chora e pede para Ikki parar, mas o Cavaleiro de Fênix pede para ele assumir a verdade, a verdade de que ele sempre amou Folken. O coração de Mime está despedaçado e demonstra um Cosmo muito mais poderoso. A corrente de Shun reage, o que significa que Mime finalmente demonstrou os seus sentimentos de luta.[2]

Os golpes Mime e Ikki colidem

Os ataques colidem

Ikki sente pela primeira vez a vontade de matar de Mimi. Ikki diz que Mimi não odeia Folken e sim a si mesmo, por tudo que ele fez. O Guerreiro Deus ataca Fênix. Ikki consegue se esquivar da nova investida de Mime e contra-ataca. O mesmo golpe não funciona duas vezes contra ele, que lança o Ave Fênix. Mime revida. Os dois golpes colidem e acabam explodindo, arremessando ambos Mime e Ikki para trás. Mime parabeniza Ikki por ter conseguido decifrar o seu golpe, mas ele avisa que possui outras técnicas. Neste momento ele ataca com o Réquiem de Cordas, estrangulando o Cavaleiro de Fênix com as cordas da sua Lira enquanto toca uma música. Ikki tenta se desvencilhar, mas não consegue. Mime avisa que quando a música acabar, Ikki morrerá. Shun usa sua corrente para salvar o seu irmão, segurando o braço de Mime. Ikki pede para Shun recolher suas correntes, pois ele vencerá Mime. Shun faz o que seu irmão pede e Mime ataca Fênix novamente. Neste momento, Ikki queima o seu cosmo e consegue se soltar das cordas da Lira. Ikki surge sem sua Armadura no topo de uma pilastra, atrás de Mime. Ele ataca o Guerreiro Deus, ferindo-o. Ao cair, a Lira é totalmente despedaçada. Mime foi vencido.[3]

Última troca de golpes de Mime e Ikki

Última troca de golpes

O Guerreiro Deus pergunta o que Ikki tem que ele não tem. Ikki responde dizendo que talvez ele tenha até uma técnica maior do que a dele, porém o Cosmo de ódio de Mime o derrotou. Ikki tem amigos e esperança por um mundo maior, isso o fez derrotar Mime. O Cavaleiro de Bronze diz também que entende perfeitamente o que Mime sentia, já que ele era igual a ele. Ele odiava a tudo e a todos, mas felizmente ele teve tempo de assumir os seus erros. Mime se levanta com dificuldades e pergunta se o que Fênix está dizendo é verdade, enquanto retira a sua Robe. As palavras de Ikki retiraram o ódio de Mime e seu Cosmo agora está cheio de esperança e determinação. Os dois se enfrentam novamente. Um único golpe decidirá o confronto. Ikki é o vencedor e Mime agradece o Cavaleiro de Atena. Antes de morrer, ele diz que gostaria de um dia renascer e ser amigo de Ikki. Mime fica feliz pois logo estará junto de seu pai novamente.[3]

Habilidades de Luta

Um poderoso Guerreiro Deus que equipara-se em poder aos Cavaleiros de Ouro.[7] Em batalha, Mime conta com o auxílio da Lira da sua Robe que o permite criar ilusões, causar alucinações e estrangular até a morte seus alvos enquanto toca réquiem para eles.[4][5][6][2][3] Apesar da sua aparência frágil, Mime é um dos mais poderosos Guerreiros Deuses, tendo conseguido matar seu próprio pai adotivo, Folken, que era o guerreiro mais corajoso e poderoso que Asgard já conheceu.[2]

Mime atacando Shun

Mime vs Shun

Na luta contra Andrômeda, Mime manteve vantagem sobre seu adversário praticamente o combate inteiro. No início da luta, o Guerreiro Deus conseguiu pressionar Shun com apenas uma mão e sem sair do pequeno muro onde permanecia sentado.[5] Mime conseguiu inutilizar várias vezes as Correntes de Andrômeda, fazendo-as hesitarem em ataca-lo.[5] As correntes não reagiram nem quando Mime estava matando Shun. Isso porque Mime não manifestou o desejo de matar.[6] Nem mesmo a Defesa Circular, cujo poder defensivo iguala-se a de uma parede de aço, foi capaz de proteger Shun das investidas de Mime.[5] Apesar de ter sido atingido pela técnica mais poderosa do Andrômeda, o Guerreiro Deus conseguiu sobreviver, saindo triunfante e praticamente ileso do combate.[6]

Mime atacando Ikki

Mime vs Ikki

Na luta contra o Cavaleiro de Fênix, Mime também foi capaz de manter-se em vantagem durante praticamente todo o combate, perdendo a vida apenas após a última e derradeira troca de golpes, deixando Ikki desacordado e bastante ferido no processo.[3] Segundo Ikki, a técnica de Mime em si é muito intimidadora.[2] Seu poder é tamanho que nem mesmo Siegfried de Dubhe, o mais poderoso dos Guerreiros Deuses, o queria como inimigo.[2]

Utilização do Cosmo: Mime usa seu Cosmo como fonte de energia. Seu Cosmo age em conjunto com a Lira da sua Robe, que o permite usar poderosas habilidades.[4][5][6][2][3] No primeiro confronto com os Cavaleiros de Atena, Mime, assim como os outros Guerreiros Deuses e Hilda de Polaris, mostrou um Cosmo agressivo e repleto de maldade, semelhante ao Cosmo de Saga de Gêmeos na Batalha das Doze Casas.[4] Seu Cosmo era terrivelmente gelado[4] e inundado por uma profunda tristeza, que era emanada para todos ao seu redor.[5] Segundo Ikki, Mime ostentava um Cosmo poderoso, porém não tinha a vontade de matar.[2] Mime foi capaz de lançar Ikki para trás ao elevar seu Cosmo,[2] que adquiriu força após se afastar do ódio.[3] Quando seu ódio desapareceu, Mime foi invadido pelo espírito de luta e determinação.[3]

Mime vs Ikki

Capacidades Físicas Sobre-humanas: Sendo um Guerreiro Deus, Mime possui velocidade, agilidade, resistência e força sobre-humana. Mime pode disparar poderosos golpes na Velocidade da Luz.[5][6][2] Presumivelmente, pode se mover nessa mesma velocidade. Seus ataques na Velocidade da Luz são tão rápidos e poderosos quantos os de Saga.[2] Ikki admite que se ele não tivesse combatido Saga, ele não teria conseguido escapar dos ataques de Mime.[2] Segundo Ikki, sua Velocidade da Luz é excelente.[2] Na luta contra Shun, Mime conseguiu sobreviver a poderosa Tempestade Nebulosa, que foi capaz de matar o Cavaleiro de Ouro Afrodite de Peixes.[6] Já contra Ikki, Mime parou um soco do Fênix com apenas uma mão logo depois de evitar rapidamente o Ave Fênix.[2] A força que Mime demonstrou na luta contra Ikki foi muito superior àquela que ele havia mostrado contra Shun.[2] Seus ataques foram bem diferentes dos anteriores, tanto o poder quanto a velocidade aumentaram.[2] Quanto mais forte for o seu Cosmo, mais poderosos serão seus golpes na Velocidade da Luz, não existe um limite.[2]

Mime parando o ataque de Ikki

Manipulação de Cordas: Mime é capaz de manipular as cordas da sua Lira.[6][2][3] Ele pode usá-las para imobilizar e estrangular seu alvo até a morte.[6][3] Mime também pode usar as cordas como um “escudo”.[2] Uma única corda foi o suficiente para parar o ataque de Ikki e ainda empurrá-lo vagarosamente para trás.[2] Utilizando as cordas, Mime conseguiu sobreviver a Tempestade Nebulosa. As cordas o seguraram durante o ataque de Shun, evitando que ele sofresse qualquer dano.[6] Elas podem facilmente danificar Armaduras de Bronze.[3]

Poder ilusório de Mime

Poder ilusório de Mime

Manipulação de Ilusões e Alucinações: Através do som da sua Lira, Mime é capaz de gerar e manipular ilusões. Ele pode criar vários “clones” seus com a intenção de confundir o inimigo.[5][6][2] Ao que parece, a música da Lira causa alucinações.[2] Mime pode turvar a mente do alvo o hipnotizando com a melodia do seu instrumento musical.[6]

Ocultação: Fazendo uso dos seus “clones”, Mime pode ocultar sua presença. Nem as Correntes de Andrômeda, com o poder de localizar o inimigo mesmo a anos luz de distância, puderam achá-lo.[5][6][2]

Técnicas Secretas

Réquiem de Cordas

Réquiem de Cordas

Curiosidades

Referências

  1. 1,0 1,1 Anime Os Cavaleiros do Zodíaco - Episódio 74
  2. 2,00 2,01 2,02 2,03 2,04 2,05 2,06 2,07 2,08 2,09 2,10 2,11 2,12 2,13 2,14 2,15 2,16 2,17 2,18 2,19 2,20 2,21 2,22 2,23 2,24 Anime Os Cavaleiros do Zodíaco - Episódio 85
  3. 3,00 3,01 3,02 3,03 3,04 3,05 3,06 3,07 3,08 3,09 3,10 3,11 Anime Os Cavaleiros do Zodíaco - Episódio 86
  4. 4,0 4,1 4,2 4,3 4,4 4,5 Anime Os Cavaleiros do Zodíaco - Episódio 75
  5. 5,00 5,01 5,02 5,03 5,04 5,05 5,06 5,07 5,08 5,09 5,10 5,11 Anime Os Cavaleiros do Zodíaco - Episódio 83
  6. 6,00 6,01 6,02 6,03 6,04 6,05 6,06 6,07 6,08 6,09 6,10 6,11 6,12 6,13 6,14 Anime Os Cavaleiros do Zodíaco - Episódio 84
  7. Anime Os Cavaleiros do Zodíaco - Episódio Zero

Navegação