Fandom

Saint Seya Wiki

Oceano de Dilúvio

2 348 páginas
nesta wiki
Adicione uma página
Comentários5 Compartilhar
Oceano
オケアノス
Okeanos.png
Nome
Títulos Titã que comanda o silencioso mundo das águas.
Romanização Okeanosu
Outros Nomes Oceanus
Dados Gerais
Classificação Titã
Sohma Tanken
Reino Correntes de Água
Divindade Cronos
Dados Pessoais
Raça Deus
Gênero Masculino
Local de Nascimento Tártaro
Dados do Treinamento
Dados do Mangá/Anime
Seiyū Kosuke Okano

Oceano de Correntes Claras é um dos últimos titãs libertados do Tártaro por Pontos com Phoebe, Mnemôsine, Créos, Rea, Tea, Themis e Tétis.

Características

Aparência

Oceano tem um cabelo azulado escuro liso, onde pode ser ver um pequeno rabo de cavalo baixo para trás. Ele é muito semelhante a Hyperion, seu irmão mais novo, mas oceano possuí marcas sob os olhos como tatuagens. A cor de sua pele é um pouco mais escura, e seus olhos são vermelhos como aqueles dos outros Titãs.

Em algumas ilustrações você pode ver que seu cabelo é azul, mas em outras é comumente visto como violeta ou preto.

Personalidade

Oceano é o mais quieto e pensativo dos Titãs. Ao contrário de seus irmãos, ele não ficou cego pela confiança, talvez isso é porque ele é o irmão mais velho e, portanto, o mais maduro deles. Pensa cuidadosamente sobre o que fazer ou dizer, e nunca foi mostrado para ser dominado por qualquer emoção que poderia interferir com o seu julgamento. Primeiro de tudo, ele mostra um templo sereno.

As crenças de Oceano centralizam o ideal de "perfeição". Ele não odeia os seres humanos, mas os vê como criações errôneas que não se encaixam no mundo perfeito que os Deuses criaram, então jurou destruir e, em seguida, criar seres mais perfeitos que esses.

Era Mitológica

Oceano era o filho primogênito de Urano (Céu) e Gaia (Terra), portanto o mais velho dos titãs. Era o deus das águas correntes, do fluxo e do refluxo e a origem de todas as massas líquidas e fontes de água doce do mundo. Oceano também era o deus que regulamentava o nascer e o ocaso dos corpos celestes, que se acreditava surgirem e descerem em seu reino aquático nas extremidades da terra. Na cosmogonia grega, o deus Oceano era o grande rio cósmico primordial que circundava o mundo, mantendo-o apertado na rede circular de suas águas. No período helenístico, com a evolução dos conhecimentos geográficos, ele passou a ser o deus que personificava os oceanos do planeta, fazendo do distante Atlântico a sede de seu domínio aquático, enquanto que Poseidon reinava sobre o Mediterrâneo. Os oceanos são assim denominados em honra a esse antigo deus.

Na Ilíada, Oceano é chamado de "o pai de todos os seres". Se uniu à sua irmã Tétis, deusa das fontes de água pura e personificação dos aquíferos subterrâneos que alimentam o mundo, e com ela gerou todos os rios, poços, nascentes e nuvens de chuva. O casal engendrou mais de 6000 filhos, compostos por 3000 filhas (Oceânides) e 3000 filhos (Potamoi), divindades relacionadas às águas e aos rios. Na Titanomaquia, Oceano e sua esposa não tomaram o partido dos titãs, angariando um imenso prestígio junto aos olímpicos. Oceano e Tétis foram os pais adotivos da deusa Hera, rainha dos deuses.

Oceano serviu como patriarca e ancestral comum para várias gerações divinas, isso porque suas filhas Oceânides foram esposas e companheiras de diversos deuses, quer fossem protogenoi (primordiais), titãs ou olimpianos. As oceânides eram ninfas (divindades menores da natureza) de grande beleza, deusas dos córregos, das nuvens, das chuvas, das fontes e nascentes; as mais velhas eram personificações de bênçãos divinas ou conceitos abstratos. Entre as principais estavam Métis (deusa da prudência e do bom conselho), Clímene (deusa da fama), Eurínome (deusa das campinas e das pastagens), Dóris (deusa do encontro do rio com o mar e dos ricos pesqueiros na foz dos rios), Dione (deusa do oráculo de Dodona), Tikhé (deusa da boa fortuna e da sorte), Telesto (deusa do sucesso), Peithó (deusa da persuasão e da sedução), Paregoron (deusa da consolação), Plouto (deusa da riqueza), Electra (deusa das nuvens de tempestade iluminadas pelo sol), Plêione (deusa da reprodução dos rebanhos), Hesíone (deusa da presciência), Rhodeia (deusa do florescer das rosas), Rhodope (deusa das nuvens rosas da alvorada), Eudora (deusa das chuvas férteis), Polidora (deusa das chuvas abundantes), Galaxaura (deusa da brisa que dissipa a névoa) e Perseis (cognominada "a destruidora", deusa dos poderes destrutivos da magia).

Já os filhos homens de Oceano e Tétis eram os Potamoi, deuses que personificavam os rios existentes em toda a terra. Possuíam os mesmos nomes dos rios do qual eram a manifestação divina. Os Potamoi eram descritos como deuses poderosos e eram temidos por outras divindades. Entre os principais deuses-rios figuravam Escamandro (também conhecido como Xanto, era o deus do rio Escamandro, em Tróia), Aqueloo (deus-rio da Etólia), Asterion (deus-rio de Argos), Nilo (deus-rio do Egito), Tigre (deus-rio da Assíria), Eufrates (assim como o irmão, deus-rio da Assíria), Orontes (deus-rio da Síria), Ganges (deus-rio da Índia), Eurotas (deus-rio da Lacedemônia), Erimanto (deus-rio da Arcádia), Asopo (deus-rio da Beócia e de Argos), Ilissos (deus-rio da Ática), Peneu (deus-rio da Tessália), Titaressos (igualmente um deus-rio da região da Tessália). Para além desses, eram divindades especialmente temíveis os cinco rios-deuses do inferno: Aqueronte (o rio da dor) , Flegetonte (o rio de fogo), Cocitos (o rio da lamentação), Lethe (o rio do esquecimento) e Estige (o rio do ódio), sendo estas duas últimas Oceânides.

Embora Oceano tenha permanecido neutro no conflito que opôs Olímpicos e Titãs, ele pode ser considerado como que um dos artífices da vitória de Zeus sobre seus irmãos. Isso porque, no auge da guerra, Oceano aconselhou a deusa Estige, sua poderosa filha mais velha, a abandonar o campo dos Titãs e lutar ao lado de Zeus. Estige era uma deusa que representava tudo o que o mundo subterrâneo, o mundo infernal e também o mundo aquático comportam em matéria de força perigosa. As águas do rio Estige eram tão poderosas que qualquer mortal que as bebesse seria imediatamente fulminado. Ao se aliar a Zeus, ela leva consigo ao campo de batalha os filhos que nasceram de sua união com o deus Pallas, filho de Créos: Nike (deusa da vitória), Zelos (deus da dedicação), Krátos (deus da força e do poder de dominação) e Bía (deus da violência brutal).

Com a ajuda dessas forças titanescas, Zeus obteve a vitória e distribuiu honras e privilégios para estes que saíram em seu auxílio. Oceano e Tétis continuariam a envolver o mundo em seus circuitos líquidos e sempre desfrutariam de grande respeito e veneração por parte de Zeus e dos olímpicos. Estige também seria venerada pelos deuses e, para honrá-la, os Olímpicos desceriam ao inferno e brindariam com suas águas sempre que fizessem um juramento inviolável. Se um deus fizesse um juramento falso e mentiroso, seria reduzido à letargia total, pois as águas de Estige tinham a capacidade de roubar dos deuses a vitalidade, deixando-os num estado de coma profundo. Nesse sentido, a Oceânide foi elevada à condição de árbitra divina: sempre que uma briga entre deuses ameaçasse se transformar numa guerra aberta, Estige era convocada ao Olimpo para, subitamente, pôr fim ao conflito nocauteando as parte contentoras. Por fim, Zeus não se esqueceria de honrar os filhos dela: o rei dos deuses se cercaria permanentemente do netos de Oceano, Krátos (o poder da soberania universal) e Bía (a capacidade de desatar uma violência contra a qual não há defesa possível). Mais do que honraria ou gratidão, Zeus realmente precisava do auxílio dos dois para manter a ordem divina e a sua própria proteção. Quando Zeus se deslocava, aonde quer que fosse, Krátos e Bía estavam sempre com ele, à sua direita e à sua esquerda.

Histórico

OceanusG.jpg
Deus que comanda o poder das Espadas Gêmeas. Oceano também obedece a Cronos. Tem uma personalidade cautelosa, tanto que não quer começar a Titanomaquia antes de saber realmente do que os Deuses do Olimpo são capazes, eliminando, assim, uma chance de derrota iminente. Tem uma breve luta contra Camus de Aquário e contra Aioria de Leão, mas se retira do combate. O episódio G se encerra sem ser relatado o que acontece com este Titã.

Batalhas

  • Batalha contra Guardas do Santuário
  • Luta inacabada com Aiolia de Leão
  • Luta equilibrada com Camus de Aquário.

Técnicas especiais

DiluvioOceanus.jpg Dilúvio de Thalassa
(Thalassa Deluje)
Com um movimento de sua mão, Oceano cria uma grande quantidade de água que se dispersa em todas as direções como um tsunami. A água é totalmente pura e não conduz eletricidade.
StreamEdge.png Margem do Córrego
(Stream Edge)
Manipulando a umidade no ar, Oceano manipula, a corrente de água formada com a as adagas de sua Sohma, na prática esta técnica serve como uma preparação para o Current Impact, mas ela pode ser capaz de ser usada defensivamente contra certos ataques, como o Calisto de Camus.
CurrentImpact.png Impacto da Correnteza
(Current Impact)
Oceano aproveita de sua Stream Edge para gerarz a dois grandes redemoinhos que giram em direções opostas, o que gera uma enorme pressão entre eles. De acordo com o Galaxian Encyclopedia, mesmo para um Cavaleiro de Ouro é impossível passar sem nenhum dano recebido quando esta técnica é na potência máxima, e Camus deve a sua salvação para o fato de que ele já havia congelado braço Oceano, diminuindo os vórtices que o Titã se criou.
AugeHydor.png Água que Brilha
(Auge Hydor)
Oceano inspira seu Cosmo nas moléculas de água que são suspensas no ar e os envia a alta velocidade no seu adversário. A natureza deste ataque torna difícil de se defender, porque as moléculas de água podem penetrar naturalmente no corpo humano apenas em contacto com a pele. Se Auge Hydor entra no corpo de seu oponente, e alcançar a corrente sanguínea, Oceano consegue o controle total do corpo da vítima, podendo forçar o sangue a fluir para fora do corpo ou até mesmo parar totalmente a circulação.

Curiosidades

  • Sendo o mais velho dos Titãs ele provavelmente era o sucessor correspondente de Urano.
    Ocean01-1-.jpg

    O enforcado

  • Pode-se dizer que sua visão perfeccionista foi herdada de seu pai, embora num grau menos brutal.
  • Acredita-se que Oceano não ansiava destronar o seu pai apesar das ordens Gaia .
  • No Tarot Oficial de Saint Seiya Episódio G, para Oceano é dado o título de "O enforcado".
Divindades
Deuses Primordiais
(Episódio G)
Urano (o Céu) • Pontos (o Mar) • Érebo (a Escuridão) • Eros (o Amor) • Gaia (a Terra)
Deuses Olímpicos ZeusPoseidonHadesAtenaApoloÁrtemisAresHermesAfrodite
Clã dos Titãs
(Episódio G)
CronosHyperionCéosIapetoCréosOceanoRéiaTêmisMnemôsineTéiaTétisFebePrometeu
Clã dos Gigas
(Episódio G)
LyaxPhloxAnemosBronteSpateZugilosHoplismaDrakonThêr
Deuses dos Sonhos
(The Lost Canvas)
OneirosMorfeuFântasoÍceloFobetor
Panteão Egípcio
(Episódio G)
AnubisApófis
Panteão Celta
(The Lost Canvas)
LugBalorEthlinn
Panteão Asteca
(The Lost Canvas)
TezcalipocaQuetzalcóatl
Panteão Romano MarteSaturnoDianaVulcanoBacoRomuloCupidoPlutão
Panteão Nordico OdinLoki
Outras Divindades TártaroCaosChronosKairosHypnosPallasThanatosDeimosFobosTifãoAbelNikéÉrisDeusEuríbiaPerséfoneApsu
Semideuses e portadores de Ikhor KardiaTenmaDohkoRadamanthysEdenShura (G) • Sigurd
Pseudodeuses AriaCavaleiro de OfiúcoFeiyanSagaBalder

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no Fandom

Wiki aleatória